Brasília Zelensky confirma presença à posse de Milei como novo presidente da Argentina

Zelensky confirma presença à posse de Milei como novo presidente da Argentina

Líder ucraniano sinaliza alinhamento político com Milei; posse está agendada para o próximo domingo, em Buenos Aires

  • Brasília | Do R7, em Brasília

Zelensky vai à posse de Milei, em Buenos Aires

Zelensky vai à posse de Milei, em Buenos Aires

Louise Delmotte / POOL / AFP - 21.05.2023

O presidente da Ucrânia, Volodmir Zelensky, confirmou presença na posse do novo presidente da Argentina, Javier Milei, marcada para o próximo domingo (10), em Buenos Aires. Como mostrou o blog do Nolasco, a presença de Zelensky assume um significado particular, já que a Ucrânia se encontra em meio ao conflito contra a Rússia. A decisão do presidente ucraniano de comparecer à posse de Milei, cuja política internacional está em consonância com a dos Estados Unidos e Israel, destaca um apoio estratégico ao alinhamento político proposto pelo novo líder argentino.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, alvo de duras críticas de Milei, não vai comparecer ao evento. No lugar dele, irá o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira. A medida é uma forma de sinalização de insatisfação, mas que essa relação ainda pode ser discutida a depender das próximas atitudes do argentino. 

Os presidentes de Uruguai, Paraguai e Equador também estarão presentes. Representantes de alto nível de Estados Unidos, de Israel e da Grã-Bretanha igualmente marcarão presença. O ex-presidente Jair Bolsonaro foi convidado e vai comparecer ao evento, levando consigo uma caravana de deputados, senadores e demais aliados.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

Bolsonaro informou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que estará fora do país no período entre 7 e 11 de dezembro, pois irá à posse do presidente eleito da Argentina. No comunicado, o ex-presidente diz que utilizará seu documento de identidade para a viagem. O documento está no inquérito que investiga a milícias digitais no STF.

Vitória

Milei foi eleito com 55,95% dos votos na disputa, contra 44,04% de Massa, que se antecipou ao anúncio dos resultados parciais da votação e, antes das 20h, fez um pronunciamento em que reconheceu a derrota. "Já falei com Milei, que é o presidente que a maioria escolheu", afirmou o peronista.

Em seu primeiro discurso após a vitória, Milei disse que "hoje começa o fim da decadência da Argentina" e "começa a reconstrução [do país]". "Hoje é uma noite histórica. Começamos a virar a página da nossa história e a deixar para trás o modelo empobrecedor", afirmou.

O estilo provocativo marcou a campanha de Milei nos últimos meses e atraiu uma grande parcela dos argentinos, com críticas à política tradicional e propostas radicais para enfrentar a grave crise econômica do país, que registrou 142,7% de taxa de inflação em 12 meses, a maior desde 1991.

Apesar de o Brasil ser o principal parceiro comercial da Argentina, Milei afirmou não ter intenção de manter boas relações com o governo de Lula, a quem chamou de corrupto, ladrão, comunista e presidiário. Vários especialistas afirmam que quem tem mais a perder é a Argentina, uma vez que o Brasil é o maior comprador de produtos argentinos.

Últimas