Prefeito do AM lamenta morte de menina e não cita esquartejamento

Município de Fonte Boa viveu uma sexta-feira de barbárie: população invadiu, ateou fogo em delegacia e cortou em pedaços suposto estuprador

Acusado de estuprar e matar menina na quinta, Ronald foi esquartejado na sexta

Acusado de estuprar e matar menina na quinta, Ronald foi esquartejado na sexta

Divulgação

Um dia após a sequência de episódios de barbárie vistos no município de Fonte Boa, no Amazonas, o prefeito local, Gilberto Lisboa (MDB), publicou uma nota direcionada à mãe da menina de 10 anos morta supostamente por Ronald Gomes Borges, de 28 anos. O texto, no entanto, ignora a reação posterior de parte da população, que depredou e invadiu a delegacia local, retirou o preso da cela, esquartejou e queimou o acusado na praça pública da cidade.

O prefeito comenta que deveria ser proibido filho morrer antes dos pais. "Essa dura realidade recaiu sobre uma mãe do nosso município que viu sua filha de tenra idade ser consumida pela maldade tresloucada de um facínora que usando a arte do demônio de espalhar o mal, brutalmente lhe tirou a vida."

O R7 tentou contato com a Prefeitura de Fonte Boa para ouvir o prefeito, mas não obteve resposta ao pedido de entrevista até o momento da publicação deste texto.

Em sua nota, Gilberto Lisboa não cita a reação posterior da população e dá a entender que se irritou com a repercussão negativa do caso. "Em meio à imensa dor e sofrimento pela qual passa (e sempre passará o resto de sua vida) aquela pobre mãe, como sempre apareceram os oportunistas de plantão, os falsos moralistas da decência, 'os puros de retidão', querendo a qualquer preço tirar proveito político do fato."

Ele prossegue nas críticas, sem identificar do que está reclamando. "Isso revela um traço característico e doentio desses papagaios de piratas que precisam subir nos ombros de alguém para aparecerem (sic), e cada um a seu modo peculiar calunia genericamente, procura culpados de forma aleatória e irresponsável sem respeitar as lágrimas da dor alheia, parecem ter satisfação na desonra dos justos."

Em determinado trecho dá a entender que adversários políticos poderiam ser os tais "papagaios de pirata". "Peço-lhes que deixem o palanque eleitoral para a hora devida, pois este momento é de prudência e ponderação, haja vista os acontecimentos da última madrugada."

O prefeito encerra o texto tentando confortar a mãe da menina assassinada. "Que Deus e o crucificado lhe confortem da forma mais suave possível e que a terra seja leve sobre seu anjinho que infelizmente se foi e está aos cuidados de Deus Pai."

Em uma nota anterior, destinada à população local, postada logo pela manhã de sábado (18), também no site da prefeitura de Fonte Boa, , o prefeito volta a ignorar o esquartejamento e a queima do corpo de Ronald. E chega a se colocar ao lado dos participantes dos atos que eventualmente tenham se machucado. "Aos que sofreram lesões corporais em meio à tormenta de ontem [sexta-feira] à noite em frente a Delegacia, estamos enviando para a Capital aqueles que necessitam de cuidados médicos mais específicos."

Gilberto Lisboa afirmou na ocasião que contava com o apoio do governo estadual. "À míngua da competência municipal nesse assunto, não nos faz aqui, buscarmos culpados de forma irresponsável."

Novas prisões

A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas foi muito mais enfática ao apontar que os responsáveis pela invasão da delegacia e pela morte do suposto estuprador também cometeram crime e podem ser presos a qualquer momento. 

O chefe do Estado Maior da Polícia Militar, coronel Ronaldo Negreiros, diz que nos vídeos é possível ver um grande número de pessoas entrando na delegacia, ateando fogo às viaturas e jogando pedras. No local, haviam policias civis, militares e guardas municipais.

 “Nós temos ali aproximadamente 15 policiais. Nós repelimos a ação, a justiça pelas próprias mãos, pois temos um Estado de Direito, e esse estado precisa ser respeitado. O crime em si é hediondo, mas nós somos braço armado do Estado, somos responsáveis por conter, prender e colocar o indivíduo à disposição da justiça. Com essa ação criminosa, quem vai ficar prejudicado pelo trabalho da polícia vai ser a população do município, pois temos viaturas danificadas, uma delegacia danificada. Então nós repudiamos esse ato em si. Um crime não pode justificar a prática de outro crime”, comentou o coronel.

O caso

Ronald Gomes Borges, de 28 anos, foi preso na quinta-feira (16) pela polícia de Fonte Boa, no Amazonas, acusado de estuprar e matar uma menina de 10 anos, moradora da cidade. No dia seguinte, sexta-feira, cerca de 15 pessoas invadiram a delegacia para pegá-lo e fazer justiça com as próprias mãos. 

Ronald foi cortado em vários pedaços, e estes incinerados na praça em frente à delegacia. 

Fonte Boa, no Amazonas, fica a 678 quilômetros da capital, Manaus

Fonte Boa, no Amazonas, fica a 678 quilômetros da capital, Manaus

R7