Economia Bancos avaliam aderir ao financiamento pelo IPCA 

Bancos avaliam aderir ao financiamento pelo IPCA 

Assim como a Caixa, que lançou linha de crédito atrelada à inflação e não mais à TR (Taxa Referencial), outras instituições estudam mudança

Financiamento pelo IPCA

Nova linha de crédito da Caixa terá taxas variando de 2,95% a 4,95% ao ano

Nova linha de crédito da Caixa terá taxas variando de 2,95% a 4,95% ao ano

Alberto Rocha/Folhapress – 22.05.2019

Após a Caixa Econômica Federal anunciar nesta terça-feira (20) a nova linha de crédito imobiliário indexada ao IPCA e não mais à TR (Taxa Referencial), outros bancos também avaliam mudança no financiamento da casa própria. 

Leia mais: Financiamento indexado ao IPCA é mais imprevisível ao cliente

A nova linha de crédito da Caixa terá taxas que variam de 2,95% a 4,95% ao ano. Hoje, as taxas dos contratos da Caixa indexados à TR possuem juros que variam entre 8,30% e 9,95%. Mas especialistas alertam para o risco de eventuais flutuações da inflação.

Leia também: Crédito dá segurança ao banco, mas pode oferecer risco a cliente

O Bradesco informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que deverá operar com esta nova linha atrelada ao IPCA e que está avaliando ainda as condições.

O Itaú Unibanco afirmou que "apoia iniciativas que ajudem a fomentar o mercado de crédito imobiliário". Em relação às medidas que estão sendo discutidas, a assessoria do banco disse que a instituição "estuda suas condições para avaliar qual caminho trará mais benefícios para os clientes".

O Banco do Brasil anunciou também nesta terça novo modelo para financiamento imobiliário, com taxas mais baixas para prazos de financiamento menores. A mudança é válida para as linhas do SFH (Sistema Financeiro de Habitação) e CH (Carteira Hipotecária).

Com essa medida, as taxas de juros passam a considerar o prazo da operação escolhido pelo cliente, ou seja, quanto menor o prazo, menor será a taxa. A menor taxa de financiamento imobiliário no BB, destaca a instituição, passa a ser 7,99% ao ano.

O Banco Santander já havia reduzido em julho a taxa de crédito imobiliário, para todos os segmentos de financiamento, para 7,99% mais a TR (taxa referencial), num período de 60 dias, que termina em 30 de agosto.

Taxas variam de 5,11% a 9,75%

Atualmente no mercado, a menor taxa, de 5,11%, é encontrada na linha Carta de Crédito do FGTS da Caixa Econômica Federal. A maior, de 9,75%, também é da Caixa, para as modalidades englobadas no SFH e SFI.

A Carta de Crédito do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) contempla apenas participantes do Fundo. O sistema SFH atinge imóveis de até R$ 1,5 milhão e utiliza recursos do FGTS e da caderneta de poupança. O SFI é uma linha que os bancos oferecem com recursos próprios, para imóveis com valores acima de R$ 1,5 milhão.

Há, ainda, a linha pró-cotista – crédito imobiliário financiado com recursos do FGTS com juros menores para quem não se enquadra nas regras do Programa Minha Casa Minha Vida, e a Carteira Hipotecária, que permite que o contratante seja dono do imóvel, porém a propriedade fica em nome da instituição financeira até o término do contrato como garantia de pagamento da dívida. 

Arte R7