Cadastro positivo: BC dá aval para sistema começar a funcionar

Primeiras empresas gestoras de banco de dados já foram credenciadas e serão responsáveis pelas informações de pagamento dos consumidores

Com dados em mãos, gestoras poderão dar nota de crédito para consumidor

Com dados em mãos, gestoras poderão dar nota de crédito para consumidor

Pixabay

O BC (Banco Central) cadastrou as primeiras empresas gestoras de banco de dados de registro, que viabilizará o funcionamento do Cadastro Positivo de clientes do sistema financeiro.

Os registros foram dados à Serasa, à Quod (Gestora de Inteligência de Crédito), à CNDL- SPC Brasil (Boa Vista Serviços e à Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas).

Leia também: Saiba como construir uma boa pontuação no cadastro positivo

Elas serão responsáveis pelas informações de pagamento dos consumidores.

A expectativa, segundo o BC, é que essas entidades ajudem a aprimorar a avaliação do risco de crédito.

Contribuindo, com isso, para a redução do spread bancário (diferença entre a taxa de captação de recursos pelos bancos e a cobrada nos clientes nos empréstimos).

Leia mais: Idec questiona coleta de dados para o Cadastro Positivo

As gestoras serão responsáveis pelas informações repassadas pelas instituições financeiras, segundo João Manoel Pinho de Mello, diretor de Organização do Sistema Financeiro e de Resolução do BC.

“São os gestores de banco de dados que terão a responsabilidade de guardar e organizar as informações dos consumidores”, disse Mello.

As gestoras deverão receber das instituições autorizadas a funcionar pelo BC as informações sobre operações de crédito; de arrendamento mercantil e de autofinanciamento, além de outras com características de concessão de crédito.

De posse dessas informações, de acordo com o BC, elas terão condições de estabelecer uma nota de crédito (escore) para cada consumidor, definida de acordo com o pagamento de suas contas de operações de crédito.

Leia mais: Cadastro positivo é positivo para o consumidor?

Entre elas, empréstimos bancários, financiamentos imobiliários e cartão de crédito, e de serviços continuados, como pagamento de luz, água e telefone, por exemplo.

O bom pagador terá um escore mais alto, e essa pontuação poderá ser considerada pelas instituições financeiras em eventuais concessões de crédito, segundo explicação de nota do BC.

Somente o escore de cada consumidor estará disponível.

Para ter acesso a mais detalhes, como a discriminação dos valores pagos de uma conta de telefone, por exemplo, será necessária a autorização expressa do detentor da informação.

Leia mais: Cadastro Positivo é instrumento que vai começar a proliferar

“O BC acredita que o novo Cadastro Positivo pode contribuir para uma melhor avaliação do risco de crédito, com a consequente redução do spread bancário, a diminuição da inadimplência e o aumento da competição no âmbito do Sistema Financeiro Nacional (SFN)”, disse o BC em nota.

O novo Cadastro Positivo foi feito no sistema de opt-out, ou seja, todo cidadão que contratar uma operação de crédito ou tiver uma conta de um serviço continuado estará automaticamente incluído nele.

No sistema anterior, que existia desde 2011, era utilizado o opt-in, ou seja, quem quisesse participar deveria pedir para fazer parte da ferramenta.

Aos que desejarem sair do sistema, basta fazer a solicitação às gestoras. A exclusão das informações do solicitante deve ser feita em até dois dias úteis em todos os sistemas registrados no BC.