Ibovespa abre maio no vermelho e fecha o dia abaixo dos 80 mil pontos

Índice de referência do mercado acionário brasileiro fechou a sessão com declínio de 2,02%, aos 78.876,22 pontos

Volume financeiro da sessão somou R$ 19,3 bilhões

Volume financeiro da sessão somou R$ 19,3 bilhões

Paulo Whitaker/Reuters - 24.8.2015

O principal índice brasileiro de ações caiu nesta segunda-feira (4), com ativos domésticos se realinhando às bolsas internacionais, e fechou o primeiro pregão de maio abaixo dos 79 mil pontos.

Na sessão, o Ibovespa ainda se recuperou parcialmente após ter chegado a cair mais de 3% ao longo do dia, mas fechou a sessão com declínio de 2,02%, a 78.876,22 pontos, no menor nível em uma semana. O volume financeiro somou R$ 19,3 bilhões.

Após fortes quedas dos principais índices de Wall Street na sexta-feira — dia em que a bolsa brasileira esteve fechado devido ao feriado nacional do Dia do Trabalho — as ações brasileiras tiveram um ajuste relativo de preços.

A situação ainda piorou quando os mercados norte-americanos reabriram nesta segunda-feira caindo mais, após o presidente dos EUA, Donald Trump, fazer novas ameaças de tarifas sobre a China, voltando a intensificar a tensão entre os países.

Durante a tarde, porém, Wall Street reagiu, com ajuda das ações de empresas de tecnologia, e os principais índices fecharam todos do azul. O S&P 500 subiu 0,42%.

Na agenda doméstica, os negócios seguem pressionados pelo noticiário político, em meio às acusações do ex-ministro da Justiça Sergio Moro de que o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir em investigações da Polícia Federal.

Esta semana investidores também aguardam decisão de política monetária do Copom, com expectativa de novo corte na taxa básica de juros. A pesquisa Focus desta manhã apontou nova redução da estimativa para a Selic de 3% para 2,75% ao final deste ano.

Destaques

- GOL PN desabou 10%, após reportar prejuízo de R$ 2,3 bilhões no primeiro trimestre, em números não auditados, praticamente por causa da depreciação do real ante o dólar. AZUL PN perdeu, de 12,9%.

- PETROBRAS PN caiu 3,7%, apesar de ter exportado recorde de 1 milhão de barris de petróleo por dia em abril, alta anual de 145%. PETROBRAS ON cedeu 3,2%.

- ITAÚ UNIBANCO PN perdeu 3,8%, antes da divulgação de resultado trimestral, após o fechamento da sessão. BRADESCO PN recuou 4,4% e SANTANDER BR desvalorizou-se 4,67%.