Guerra Israel x Hamas

Economia Israel x Hamas: bolsas internacionais abrem em queda

Israel x Hamas: bolsas internacionais abrem em queda

Incerteza toma conta dos investidores estrangeiros por conta do conflito no Oriente Médio

Reuters
Resumindo a Notícia
  • Conflito Israel-Hamas abala mercados globais, levando à queda nas bolsas dos EUA.

  • Israel intensifica ações em resposta a ataques do Hamas, gerando preocupações.

  • Aumento da volatilidade: Índice de medo nos EUA registra alta.

  • Petróleo em alta; empresas de defesa sobem entre 5,5% e 8,5%.

REUTERS/Brendan McDermid/File Photo

As bolsas de valores americanas caíam nesta segunda-feira (9), com o aprofundamento do conflito entre Israel e o grupo terrorista palestino Hamas abalando os mercados globais e empurrando os investidores para ativos seguros, enquanto os preços do petróleo subiam mais de 3%.

Israel disse que suas tropas, apoiadas por helicópteros, mataram vários infiltrados armados que entraram no país vindos do Líbano, aumentando os temores de que os combates pudessem se espalhar, dois dias depois que homens armados do Hamas invadiram vindos da Faixa de Gaza.

Os militares israelenses disseram que convocaram um número sem precedentes de 300 mil reservistas e que estavam impondo um bloqueio total à Faixa de Gaza, sinalizando que poderiam estar planejando um ataque terrestre.

· Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu Whatsapp
· Compartilhe esta notícia no WhatsApp
· Compartilhe esta notícia no Telegram

Em Gaza, controlada pelo Hamas, Israel realizou os bombardeios de retaliação mais intensos da história, matando mais de 500 pessoas desde sábado.

O secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, disse que os Estados Unidos enviarão vários navios militares e aeronaves para mais perto de Israel como uma demonstração de apoio.

O índice de volatilidade CBOE, o "medidor de medo" de Wall Street, também subiu para 18,59, refletindo a ansiedade dos investidores.

"Esperamos volatilidade de curto prazo no mercado de ações e no mercado de petróleo à medida que os investidores digerem o aumento das tensões no Oriente Médio", disse James Demmert, diretor de investimentos da Main Street Research.

O setor de energia era o que mais ganhava no S&P 500, com um aumento de quase 3%, enquanto os setores de consumo discricionário e de tecnologia da informação foram os mais atingidos.

As empresas de defesa Northrop Grumman, RTX, General Dynamics e Lockheed Martin subiam entre 5,5% e 8,5%.

Às 11h25, o índice S&P 500 perdia 0,19%, a 4.300,34 pontos, enquanto o Dow Jones caía 0,12%, a 33.366,15 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq Composite recuava 0,65%, a 13.344,64 pontos.

Veja fotos do terceiro dia de conflito entre Israel e Palestina

Últimas