Eleições 2022 ‘Espero caminhar ao lado de Arruda nas eleições’, diz Ibaneis após decisão do STJ

‘Espero caminhar ao lado de Arruda nas eleições’, diz Ibaneis após decisão do STJ

Ex-governador do DF José Roberto Arruda (PL) teve as condenações suspensas pelo Superior Tribunal de Justiça e agora está elegível

  • Eleições 2022 | Hellen Leite, do R7, em Brasília

Governador Ibaneis Rocha

Governador Ibaneis Rocha

Renato Alves/Agência Brasília

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), afirmou nesta quinta-feira (7) que a devolução dos direitos políticos ao ex-governador José Roberto Arruda (PL) foi "merecida" e que espera caminhar ao lado do político nas eleições de outubro. Após 12 anos, Arruda pode voltar a disputar cargos públicos em razão de uma decisão do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins, que suspendeu, na quarta-feira (6), os efeitos de duas condenações por improbidade administrativa contra o ex-governador.

"A decisão do ministro Humberto é bem fundamentada, e eu acho que é merecida. A gente tem que esperar agora os próximos passos que eles [a campanha de Arruda] darão, temos uma aliança que foi formulada há um bom tempo e a gente vai ter tempo para conversar até as convenções. A gente espera caminhar juntos nesta eleição, acho que é o melhor para a cidade", disse Ibaneis. 

Leia também: STJ suspende condenações, e Arruda, ex-governador do DF, está elegível

A volta de Arruda ao páreo mexe com o cenário político da capital federal, que, por enquanto, tem nove pré-candidatos: Ibaneis Rocha (MDB), Reguffe (União Brasil), Izalci Lucas (PSDB), Keka Bagno (PSOL), Leandro Grass (PV), Leila Barros (PDT), Professor Lucas Salles (Democracia Cristã), Rafael Parente (PSB) e Robson da Silva (PSTU).

Os partidos têm até 5 de agosto para decidir quais candidatos disputarão o Governo do Distrito Federal, mas Arruda já tem aparecido em eventos ao lado da deputada federal Flávia Arruda (PL), pré-candidata ao Senado.

Como o cenário político ainda não está definido, Ibaneis não considera o ex-governador um adversário. Ao contrário, o emedebista comentou que a decisão favorável a Arruda o ajuda na corrida eleitoral. "O ex-governador tem uma votação expressiva aqui no Distrito Federal; ele estando ao nosso lado certamente vai ajudar", disse Ibaneis.

Uma pesquisa do Real Time Big Data, encomendada pela Record TV e divulgada no dia 8 de junho, mostrou Ibaneis Rocha (MDB) à frente da corrida ao Governo do Distrito Federal. O atual mandatário aparecia em primeiro lugar em todos os cenários e também, em caso de eventual segundo turno, contra todos os outros candidatos. O levantamento mostrou que Arruda (PL) está em segundo em todos os cenários em que o nome dele foi apresentado ao entrevistado e também na pesquisa espontânea.

Condenação

Arruda tornou-se ficha-suja após ter sido acusado de participação no chamado mensalão do DEM, que era o pagamento de propina em troca de apoio político, especialmente na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF).

O político foi o primeiro governador da história do Distrito Federal flagrado recebendo propina. O vídeo foi divulgado em março de 2010 e, um mês depois, ele perdeu o mandato. Em 2014, Arruda voltou ao cenário político como candidato ao Governo do Distrito Federal pelo PR, mas teve sua candidatura cassada.

Apesar de ter sido flagrado em vídeo recebendo dinheiro, o ex-governador diz que as imagens teriam sido gravadas durante a campanha e que a quantia, que seria parte de doações, teria sido registrada conforme a previsão legal.

Últimas