Eleições 2022 Partido Novo repudia apoio de Amoêdo a Lula no segundo turno

Partido Novo repudia apoio de Amoêdo a Lula no segundo turno

Em nota, legenda diz que sempre será oposição ao 'lulopetismo'; Amoêdo foi um dos criadores do partido

  • Eleições 2022 | Carlos Eduardo Bafutto, do R7, em Brasília

Um dos fundadores do Novo, João Amoêdo disse que vai votar em Lula no segundo turno

Um dos fundadores do Novo, João Amoêdo disse que vai votar em Lula no segundo turno

Paulo Whitaker/Reuters - 7/8/2018

O Partido Novo repudiou ontem, sábado (15), o anúncio de João Amoêdo de que vai votar no candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no segundo turno da eleição presidencial. Amoêdo, um dos fundadores da legenda, anunciou o apoio em entrevista a um jornal de São Paulo.

"Os fatos, a história recente e o resultado do primeiro turno, que fortaleceram a base de apoio de Bolsonaro, me levam à conclusão de que o atual presidente apresenta um risco substancialmente maior", disse o político e empresário. Em resposta, o Novo alegou que a declaração "é lamentável e incoerente". O Novo alegou ainda que a posição não representa a escolha do partido e que o posicionamento "vai contra tudo o que sempre defendemos".

Veja a publicação do partido:

João Amoêdo foi candidato a presidente pelo Novo em 2018 e terminou as eleições na quinta colocação, com 2,5% dos votos válidos. O sucesso do empresário nas urnas, que nunca havia disputado eleições e acabou à frente de nomes como Marina Silva (Rede) e Henrique Meirelles (à época no MDB), surpreendeu o mundo político na ocasião.

Em abril, o empresário foi um dos signatários do "manifesto dos presidenciáveis", uma carta em defesa da democracia que também contou com as assinaturas do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM), do então governador de São Paulo, João Doria (PSDB), do então governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB) e do ex-ministro Ciro Gomes (PDT).

Últimas