Eleições 2022 Saiba como foi o início da campanha eleitoral dos candidatos à Presidência

Saiba como foi o início da campanha eleitoral dos candidatos à Presidência

Bolsonaro esteve em Juiz de Fora, onde foi alvo de atentado em 2018, enquanto Lula, Tebet e Ciro participaram de atos em SP

  • Eleições 2022 | Augusto Fernandes, do R7, em Brasília

Lula, Bolsonaro, Ciro e Tebet: candidatos à Presidência da República em 2022

Lula, Bolsonaro, Ciro e Tebet: candidatos à Presidência da República em 2022

Montagem

Os candidatos à Presidência da República iniciaram as campanhas eleitorais nesta terça-feira (16). Com publicações nas redes sociais e comícios ao lado de eleitores, os presidenciáveis começaram a apresentar suas propostas ao eleitorado e a pedir votos para o pleito de outubro.

Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (PL) participou de evento em Juiz de Fora (MG), cidade em que foi alvo de um ataque a faca em 2018. No ato, o presidente discursou ao público e lembrou o atentado de quatro anos atrás. "Não tem como não se emocionar voltando a essa cidade. Recordação que levo é de renascimento, que minha vida foi marcada pelo nosso Criador para que eu pudesse, como presidente da República, fazer o melhor para nossa pátria."

Além disso, o presidente renovou as críticas ao PT e a Lula. "O Brasil é um grande país, mas que até pouco tempo era roubado pela esquerdalha que estava no poder. Não há comparação, [nós] temos exemplo de patriotismo e honestidade", comentou. Ele também convocou os apoiadores a saírem às ruas no feriado da Independência. "Nós não vivemos sem liberdade, e pode ter certeza que no próximo dia 7 de Setembro vamos todos às ruas pela última vez. Num primeiro momento, [sobre] a independência [do Brasil] e a segunda é a garantia da nossa liberdade", disse.

Lula

O ex-presidente Lula iniciou a campanha ao Palácio do Planalto com posts nas redes sociais. Ele publicou vídeos e textos. Em uma das mensagens, Lula destacou que "o primeiro passo para reconstruirmos nosso país é vencer as eleições". "O Brasil é imenso, por isso eu conto com a ajuda de vocês, nas redes e nas ruas, para levarmos uma mensagem de fé e esperança ao nosso povo", afirmou.

O primeiro compromisso público aconteceu em uma fábrica de automóveis em São Bernardo do Campo (SP), cidade onde iniciou sua trajetória política. No evento, Lula fez críticas a Bolsonaro. "Eu vou voltar para a gente recuperar o país, para recuperar emprego. Esse país tem que ser respeitado outra vez, e não ter um presidente como esse que ninguém quer recebê-lo e ninguém quer vir aqui", ponderou. "Eu não vou dizer ‘eu’. Eu vou dizer ‘nós’ vamos ganhar a eleição para presidente da República. Nós vamos ganhar porque esse país precisa de nós", acrescentou o ex-presidente.

Ciro Gomes

Assim como os adversários, o candidato do PDT, Ciro Gomes, usou as redes sociais para abrir a campanha dele ao Palácio do Planalto. "É hora de mostrar que o Brasil tem solução e que aqui tem projeto, experiência, ficha limpa e uma alternativa viável pra mudar o país", publicou.

Pela manhã, o pedetista fez uma caminhada na zona leste de São Paulo. O foco do candidato foi a proposta do projeto de Renda Mínima para pessoas em vulnerabilidade. Ciro investiu em diálogos com moradores e comerciantes de uma comunidade da região, apresentando a promessa de instituir um pagamento de R$ 1.000, em média, para todas as famílias brasileiras abaixo da linha da pobreza. "Garantir o direito de comer do nosso povo é dever do Estado. O projeto de Renda Mínima para toda a população na linha de pobreza vai permitir isso", disse Ciro.

Simone Tebet

Nome do MDB para disputar a Presidência da República, Simone Tebet teve um encontro reservado com representantes do setor cultural em São Paulo. Na reunião, ela prometeu que a cultura será mais valorizada em uma eventual gestão. De acordo com a candidata, o Ministério da Cultura será recriado e leis de incentivo à cultura, como a Lei Rouanet e a Lei Aldir Blanc, serão fortalecidas.

"No meu governo, a cultura não será mais um ‘puxadinho’ do Ministério do Turismo, como é hoje. Além de contar com um ministério próprio, entre outras ações, vamos implementar a Lei Aldir Blanc, que destina R$ 3 bilhões anuais ao setor, até 2023, e não está funcionando", afirmou Tebet.

Últimas