Eleições 2022 Soraya Thronicke diz que União Brasil atrasa repasses à campanha

Soraya Thronicke diz que União Brasil atrasa repasses à campanha

Partido foi o que mais recebeu recursos do fundo eleitoral: R$ 776 milhões; campanha de Soraya recebeu R$ 22 milhões do partido

  • Eleições 2022 | Do R7, em Brasília

Senadora Soraya Thronicke é candidata à Presidência da República pelo União Brasil

Senadora Soraya Thronicke é candidata à Presidência da República pelo União Brasil

Soraya Thronicke/Assessoria de imprensa/Divulgação

A senadora e candidata à Presidência da República pelo União Brasil, Soraya Thronicke, disse nesta quinta-feira (22) que o partido tem atrasado o repasse de recursos para a campanha presidencial. A legenda, que surgiu da fusão de DEM e PSL, recebeu a maior parte do fundo eleitoral: R$ 776,5 milhões para distribuir entre os candidatos que disputam cargos majoritários e proporcionais.

Segundo nota divulgada pela assessoria de imprensa da candidata, a demora aconteceu "em razão dos ritos que devem ser seguidos para assegurar absoluta conformidade e respeito à legislação eleitoral". Ainda de acordo com a nota, não houve nenhum prejuízo às atividades da campanha nem a interrupção das agendas programadas.

Nas redes sociais, o vice na chapa de Soraya, o economista Marcos Cintra, negou a notícia de que havia renunciado à candidatura, por não ir a alguns eventos, e disse que seguiria ao lado da senadora. "Cancelei alguns eventos por problemas internos, inclusive em outros estados, mas prossigo ao lado da senadora incondicionalmente", comentou.

A última atualização na prestação de contas da candidata na página do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aconteceu em 13 de setembro, quando ela declarou ter recebido R$ 22,1 milhões em receitas. Desse total, R$ 18,9 milhões foram repasses da direção nacional do União Brasil e R$ 3,2 milhões são do diretório estadual. 

O diretório nacional do União Brasil também repassou R$ 12,4 milhões ao diretório estadual do partido na Bahia, estado em que ACM Neto lidera as intenções de voto para o governo do estado; e outros R$ 12 milhões ao diretório em Goiás, que trabalha a campanha de Ronaldo Caiado, que também tem aparecido à frente nas pesquisas.

O R7 procurou o União Brasil para comentar o atraso nos repasses, mas não recebeu retorno até a última atualização desta reportagem. O espaço segue aberto. 

Últimas