Eleições 2022 Veja como será o esquema de segurança no 2º turno das eleições no DF

Veja como será o esquema de segurança no 2º turno das eleições no DF

O governo distrital reforçou o policiamento desde o dia 19; nesta sexta-feira, a PM escoltou as urnas para os locais de votação

  • Eleições 2022 | Luiz Calcagno, do R7, em Brasília

Polícia Militar do DF faz escolta de urnas eletrônicas para os locais de votação

Polícia Militar do DF faz escolta de urnas eletrônicas para os locais de votação

Ascom/TRE-DF - 28.10.2022

As forças de segurança do Distrito Federal, a Polícia Federal (PF) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) reforçaram o esquema de segurança preparado para este domingo (30), dia do segundo turno das eleições. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF) e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) também participaram do planejamento no DF.

VEJA A COBERTURA COMPLETA DAS ELEIÇÕES 2022 NA PÁGINA ESPECIAL DO R7

As ações começaram na manhã de sexta-feira (28), com a Polícia Militar na escolta das urnas eletrônicas para os 610 pontos de votação da capital.

De acordo com o secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Julio Danilo, equipes da PM farão a segurança dos locais de votação onde as urnas devem ficar até domingo para preservar os equipamentos. O policiamento ganhou reforços desde 19 de outubro. "Além disso, no dia da votação, nós teremos ali efetivo o suficiente para garantir a segurança das pessoas", afirmou.

Agentes do Detran-DF e militares do Corpo de Bombeiros também estarão de prontidão "para atender qualquer tipo de eventualidade, emergência ou urgência".

Também haverá esquema de segurança diferenciado na Esplanada dos Ministérios e na Praça dos Três Poderes. "Após o primeiro turno das eleições, nos reunimos com representantes das instituições envolvidas para avaliar a necessidade de possíveis modificações para o segundo turno. O protocolo colocado em prática se mostrou bastante eficiente, sendo necessário fazer pequenos ajustes internos", afirmou o secretário.

Também participaram do planejamento o Supremo Tribunal Federal (STF), o Congresso Nacional, que tem a própria Polícia Legislativa, o Gabinete de Segurança Institucional, o Itamaraty e o Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Trânsito

Helicóptero do Detran-DF pousado na Esplanada dos Ministérios

Helicóptero do Detran-DF pousado na Esplanada dos Ministérios

Agência Brasília - Arquivo

Não há previsão de interrupção do tráfego nas vias do DF, mas, de acordo com Júlio Danilo, as forças de segurança estão preparadas para interromper o trânsito, fazer desvios e até impedir o acesso de regiões a pedestres se houver necessidade. De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública, o acesso à Esplanada dos Ministérios poderá ser fechado, por exemplo, se agentes de segurança detectarem movimentação de pessoas para o local.

Os departamentos de Trânsito (Detran) e de Estradas de Rodagem (DER), batalhões de trânsito da PMDF e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) vão monitorar as vias da capital e devem fazer modificações pontuais no trânsito para garantir a fluidez em diversas regiões caso seja preciso. Os prédios públicos da região também ficarão cercados por grades e contarão com reforço da PM e de segurança própria.

Crimes eleitorais

As corporações também estarão de olho nos crimes eleitorais como boca de urna, aglomerações e manifestações próximas aos locais de votação, que serão reportados à Polícia Federal. O Ministério da Justiça e Segurança Pública também vai monitorar eventuais crimes, conforme informou o ministro Anderson Torres nesta sexta-feira (28).

"No primeiro turno, foram mais de R$ 10 milhões apreendidos, e tivemos a informação de que esses recursos seriam utilizados para a compra de votos. Isso fere o direito de livre votar do povo brasileiro", informou o ministro durante coletiva de imprensa.

Manifestações e aglomerações serão permitidas após as 17h, quando os locais de votação já estiverem fechados. "O planejamento também prevê a atuação das forças de segurança no momento posterior à apuração dos votos. A gente espera que os eleitores tenham um dia de festa, de exercer a cidadania, de votar e os que queiram comemorar, que façam de forma ordeira e correta, e as forças de segurança estarão lá para garantir a segurança", destacou o secretário.

Escolta

Enquanto a PM cuidará das urnas, agentes da Polícia Civil do Distrito Federal farão a escolta de juízes eleitorais e promotores públicos. Também há a previsão de reforço nas equipes de atendimentos de emergência, de delegacias e batalhões. O Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob) da Secretaria de Segurança Pública acompanhará a movimentação por imagens. O centro reúne 29 órgãos e agências.

"Sob a coordenação da secretaria, pode haver ajustes no planejamento prévio, a partir de análises de imagens e cenários", explicou o secretário. "Como em todas as operações com esse grau de sensibilidade e importância, será acionado, no Ciob, o Gabinete de Gestão Estratégica, que é composto por gestores da SSP [Secretaria de Segurança Pública], do alto comando das forças de segurança e de setores estratégicos do governo local e federal, repetindo o modelo do primeiro turno e formato adotado em grandes eventos", completou.

Últimas