Internacional Princesa Cristina da Holanda morre aos 72 anos

Princesa Cristina da Holanda morre aos 72 anos

Corpo da irmã mais nova da princesa Beatrix e tia do rei Willen-Alexander dos Países Baixos será cremado em uma cerimônia privada no Palácio, em Haia

Princesa Cristina da Holanda morre aos 72 anos

Cristina foi diagnosticada com câncer ósseo em 2017

Cristina foi diagnosticada com câncer ósseo em 2017

Robin Utrecht/EFE - 29.4.2013

A princesa Cristina, tia do rei Willen-Alexander dos Países Baixos, morreu em Haia nesta sexta-feira aos 72 anos em decorrência de um câncer nos ossos diagnosticado em 2017, segundo confirmou a Casa Real da Holanda.

Cristina, a irmã mais nova da princesa Beatrix, rainha emérita, morreu na madrugada desta sexta-feira no complexo do Palácio Noordeinde, em Haia, e os seus restos serão transferidos ao jardim do mesmo Palácio Real, onde ocorrerá um funeral privado, segundo um comunicado do Serviço de Informação do Governo (RVD).

"Estamos tristes pela morte de nossa querida irmã e tia. Cristina era uma personalidade chamativa com um grande coração, com seu impulso musical e seu talento, conseguiu chegar a muita gente", acrescentaram, em mensagem conjunto, o monarca Willen e a rainha Máxima.

O corpo da princesa será cremado por decisão da família.

A princesa Cristina decidiu desde cedo viver longe da atenção midiática, o que a transformou na irmã menos conhecida para o público do que Beatrix, que foi rainha entre 1980 e 2013, quando abdicou em favor de Willen-Alexander e passou a possuir o título de princesa.

Nascida em 18 de fevereiro de 1947 como princesa Marijke (mais tarde decidiu começar a usar o seu segundo nome, Cristina), ela é a quarta filha da rainha Juliana (1909-2004) e do príncipe Bernardo (1977-2004).

Sua mãe, Juliana, teve rubéola durante a gravidez, o que fez com que a princesa Cristina nascesse com problemas de visão, que mais tarde se traduziram em uma afecção ocular grave que a deixou praticamente cega.

Diante da falta de tratamento médico, a situação levou a rainha Juliana a pedir ajuda a Greet Hofmans, uma curandeira holandesa que usava a fé e o "poder das mãos", o que provocou problemas matrimoniais entre seus pais, os reis, além de uma crise institucional pela influência da curandeira sobre as decisões de Juliana em temas de política nacional.

Depois de nove anos como conselheira próxima da rainha, Hofmans se distanciou da família real, após entender que a cegueira da princesa era incurável, e Cristina se casou, em 1975, com Jorge Pérez y Guillermo, com quem teve três filhos: Bernardo, Nicolás e Juliana.

O casamento chegou ao fim em 1996, e depois de viver em vários lugares afastados da imprensa holandesa, a princesa retornou à Haia para estar sob os cuidados de sua família e lutar contra o câncer.