Após confusão, bar que causou aglomeração em BH perde alvará

Vizinhos chamaram a Guarda Municipal ao notarem aglomeração na porta de um bar no bairro Anchieta; local já gavia sido notificado pela prefeitura

Imagens mostram abordagem da Guarda Municipal

Imagens mostram abordagem da Guarda Municipal

Record TV Minas

A Prefeitura de Belo Horizonte recolheu o alvará de funcionamento de um bar que gerou aglomeração e confusão no bairro Anchieta, área nobre da capital mineira. Segundo o Executivo, a medida foi tomada porque o estabelecimento já havia sido denunciado outras vezes.

Na noite da última quinta-feira (16), agentes da Guarda Municipal foram chamados por moradores da região, que reclamavam de aglomeração causada por um estabelecimento que vendia comida para retirada no local. Segundo a denúncia, os clientes estavam consumindo os produtos em frente à loja e sem usarem máscaras de proteção.

Num vídeo feito por vizinhos, é possível observar a chegada dos agentes, que pedem para que as pessoas coloquem a máscara. Com a recusa delas, os guardas tentam render um dos homens presentes e, neste momento, começa a confusão.

Veja: Belo Horizonte tem 5.500 bares fechados devido a pandemia

Várias pessoas se aglomeram em volta da viatura e é possível ver uma mulher discutindo com um dos agentes. 

— Eles não fizeram nada. Foi a mãe deles que realmente desacatou um dos guardas, mas não teve agressão.

Depois de um tempo, várias viaturas chegam no local e a confusão terminou. Segundo a Polícia Civil, três pessoas foram encaminhadas para uma delegacia para serem ouvidas. Eles assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência pelo crime de desacato e deverão ser convocados para uma audiência.

Acusações

A abordagem incomodou algumas pessoas, que reclamaram da postura dos agentes nas redes sociais. A Guarda Municipal afirmou que adotou as medidas legais para a abordagem, tendo inclusive oferecido máscaras de proteção para os presentes.

Em Belo Horizonte, quem não usa máscara pode ser multado em R$ 100. Estabelecimentos não-essenciais que burlarem as medidas do Executivo podem ser multados em até R$ 5.611,14. De acordo com a Prefeitura, cerca de 70 alvarás já foram recolhidos desde março.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Lucas Pavanelli.