Minas Gerais Bares de BH conseguem, na Justiça, aval para funcionar sem restrições

Bares de BH conseguem, na Justiça, aval para funcionar sem restrições

Boi Zé e Boi Werneck entraram com pedido de liminar contra decreto que restringe funcionamento entre 11h e 19h em BH

  • Minas Gerais | Pollyana Sales e Ricardo Vasconcelos, da RecordTV Minas

Bar Boi Zé pode abrir sem restrição

Bar Boi Zé pode abrir sem restrição

Reprodução/Google Maps

Dois bares localizados no bairro Buritis, na região Oeste de Belo Horizonte, conseguiram, na Justiça, autorização para abrirem as portas sem restrições de dias e horários. A decisão, em caráter liminar garante que os estabelecimentos Boi Werneck e Boi Zé possam funcionar fora dos horários determinados por decreto da Prefeitura de Belo Horizonte. 

As liminares foram concedidas na noite desta quarta-feira (26), pelo juiz Maurício Leitão Linhares, da 1° Vara de Feitos da Fazenda Pública de Belo Horizonte, e permitem que os bares funcionem,  com consumo interno, sem restrições de dias e horários já a partir desta quinta-feira (27).

Conforme decreto municipal, hoje, os bares e restaurantes de Belo Horizonte podem funcionar com consumo interno de segunda-feira a sábado, com permissão de venda de bebida alcoólica, entre 11h às 19h. Aos domingos os bares devem ficar fechados, mas não há restrição de dia e horário para delivery e retirada no local. 

Decisão

No pedido de liminar, o advogado que representa os bares afirmou que os estabelecimentos estão sendo prejudicados "desde o início do momento pandêmico, em razão dos diversos decretos ilegais e abusivos já editados" pela Prefeitura de Belo Horizonte. 

Na decisão o juiz Maurício Leitão Linhares concordou com a alegação de que os decretos com medidas restritivas assinadas pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD) são ilegais e abusivos já que não se embasam em leis municipais ou federais em vigor. O magistrado diz, ainda, que não existe comprovação de que as altas taxas de contaminação da capital possam ser de responsabilidade do setor e cita outras atividades comerciais que podem funcionar sem restrição de horário.

A Prefeitura de Belo Horizonte informou que vai recorrer e pedir a suspensão de todas as decisões liminares.

Últimas