Minas Gerais BH convoca servidores da educação para volta ao trabalho presencial

BH convoca servidores da educação para volta ao trabalho presencial

Assistentes administrativos voltam às escolas na próxima segunda-feira (26) para preparar volta às aulas, prevista para 3 de maio

Retorno às aulas na rede municipal de BH está marcado para 3 de maio

Retorno às aulas na rede municipal de BH está marcado para 3 de maio

Divulgação/Rodrigo Clemente/PBH

A Secretaria Municipal de Educação de Belo Horizonte convocou servidores administrativos da rede pública a retomarem o trabalho presencial nas escolas a partir da próxima segunda-feira (26).

O objetivo é que esses profissionais preparem o retorno às aulas dos alunos com até cinco anos de idade. A data provável para a retomada das aulas presenciais na rede pública da capital mineira é 3 de maio. Na rede particular, as escolas estão autorizadas a abrir as portar a partir de segunda. 

Uma portaria assinada pela secretária de educação, Ângela Dalben, determina a retomada do trabalho presencial para assistentes administrativos educacionais entre 8h e 17h. De acordo com o texto, as escolas que tiverem mais de um profissional devem organizar uma escala de revezamento igualitário de trabalho. 

Já os servidores com mais de 60 anos de idade, gestantes e os que têm alguma comorbidade (atestada pela perícia médica) ou em readaptação funcional devem ficar de sobreaviso, enquanto perdurarem as medidas de restrição e prevenção ao contágio pela covid-19. 

Greve

Enquanto o retorno às aulas presenciais está garantido nas escolas particulares de Belo Horizonte a partir da semana que vem, os alunos da rede municipal podem ter que esperar mais para reencontrarem os colegas e professores. 

Isso porque o Sind-Rede/BH, sindicato que representa os trabalhadores da educação, confirmou nesta quinta-feira (22) uma greve contra a volta ao trabalho presencial

De acordo com a presidente do sindicato, Vanessa Portugal, a ‘greve sanitária’ não tem relação com questões salariais, e sim com a preservação da vida dos servidores.

— Nós entendemos que não existe condição de segurança se nós fizermos o trabalho presencial com a criança. Não existe segurança para trabalhadores nem alunos. 

Os profissionais afirmam que só irão voltar para as salas de aula quando a pandemia em Minas estiver “minimamente controlada”. Segundo o sindicato, a greve só se aplica às atividades presenciais, ou seja, o atendimento remoto continuará sendo feito de forma normal.

Outro lado

Em nota, a Prefeitura de Belo Horizonte disse que respeita a entidade sindical, mas afirmou que a decisão de entrar em greve ou não é de cada servidor. O executivo informou que vai aguardar até segunda-feira (26), para conhecer a decisão de cada funcionário, e alegou que “a preparação e o esforço de cada escola viabilizará a acolhida segura e confortável de todos”. 

Últimas