Minas Gerais Covid: 3ª dose de vacina será de marca diferente em Minas Gerais

Covid: 3ª dose de vacina será de marca diferente em Minas Gerais

Cidades podem começar a aplicar dose de reforço em idosos em setembro; saiba como será o esquema de vacinação

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli e Célio Ribeiro*, do R7

Terceira dose deve começar em setembro em algumas cidade de Minas

Terceira dose deve começar em setembro em algumas cidade de Minas

Divulgação / PBH

A aplicação da terceira dose da vacina contra a covid-19 em Minas Gerais será de uma marca diferente das outras duas. A informação foi confirmada pelo secretário de Estado de saúde, Fábio Baccheretti, que concedeu entrevista coletiva nesta quinta-feira (26). 

De acordo com o secretário, o Governo de Minas dividiu as quatro vacinas aplicadas no Estado em três plataformas: Coronavac, AstraZeneca/Janssen e Pfizer. Dessa forma, quem tomou as primeiras duas doses de uma delas, obrigatoriamente, terá que ser vacinado com um imunizante de outro laboratório. 

— Quem foi imunizado com uma vacina vai receber a terceira dose de uma outra fabricante. 

De acordo com o secretário, a data de aplicação da terceira dose pode variar entre os municípios e é possível que, em algumas cidades, a dose reforço seja aplicada já em setembro. 

Segundo Baccheretti, o Ministério da Saúde orienta que, assim que todos os adultos com mais de 18 anos forem vacinados, os adolescentes de 12 a 17 anos com comorbidade e, na sequência, os que não tem comorbidade sejam imunizados. Quando a vacinação for concluída para esses grupos, então, teria início a aplicação da terceira dose.  

No entanto, os municípios terão liberdade para começar a aplicar essa dose de reforços em idosos logo após a vacinação dos adultos. 

A expectativa da Secretaria de Saúde é que Minas Gerais receba, em setembro, mais 7 milhões de doses da Pfizer. O número seria suficiente para iniciar a aplicação da primeira dose dos adolescentes e a campanha de reforço nos idosos.

Variante Delta

Apesar do avanço na vacinação em Minas Gerais, a preocupação do governo estadual é com a disseminação da variante Delta. Até o momento, foram confirmados 101 casos e dois óbitos causados por esta cepa do coronavírus.

No entanto, de acordo com o secretário Baccheretti, a maior parte das amostras recentes são da varante Delta. 

— A tendência é que a disseminação dessa variante cresça nas próximas semanas

Últimas