Minas Gerais CPI convoca exonerados da Saúde para depor sobre 'fura-filas' em MG

CPI convoca exonerados da Saúde para depor sobre 'fura-filas' em MG

Deputados vão ouvir ex-chefe de gabinete e ex-chefes da assessoria de comunicação da pasta sobre supostas irregularidades

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Pinho teria alterado dados para evitar exposição

Pinho teria alterado dados para evitar exposição

Pedro Gontijo/Imprensa MG

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) dos Fura-Filas decidiu, nesta sexta-feira (23), a convocar três servidores exonerados da Secretaria Estadual de Saúde para depor, na condiçãode investigados, sobre possíveis irregularidades na vacinação contra a covid-19.

Entre eles está João Pinho, demitido do cargo de chefe de gabinete, nesta quinta-feira (22), após o vazamento do áudio de suposta reunião em que ele teria sugerido tirar funcionários da comunicação já vacinados do teletrabalho para evitar exposição e problemas com as investigações do caso. Ele também teria sugerido analisar a mudança de uma resolução estadual para evitar questionamentos.

O segundo convocado é Everton Luiz Lemos de Souza, então assessor-chefe de comunicação da Secretaria de Saúde, também demitido nesta quinta-feira, já que estaria na mesma reunião e teria contribuído com as sugestões de Pinho.

A terceira convocada é a jornalista Virgínia Cornélio da Silva, que comandava a comunicaçao da Saúde antes de Souza. Ela foi exonerada logo após o R7 revelar denúncias de que servidores de grupos não prioritários teriam sido imunizados contra a covid-19. Na época, a Secretaria de Saúde alegou que a imunização seguiu critérios legais.

Procurada pela reportagem, Vírginia avaliou que o depoimento será "uma boa oportunidade" para "explicar como foi o processo de vacinação pela Assessoria de Comunicação" que ela chefiava.

"Desde o começo, houveram muitas controvérsias em relação ao nosso papel, assim, posso explicar para todos. Eu, segui o que foi determinado pela chefia. Jamais faria algo que não fosse correto. Desde o começo estou à disposição de todos, imprensa, Assembleia e quem quer que seja para responder e colaborar com o que precisarem", completou Virgínia.

Everton Souza disse que não quer se manifestar sobre o assunto. A reportagem tenta contato com João Pinho. Ainda não há data para os depoimentos.

Últimas