Minas Gerais Ex-padrasto que degolou enteada é condenado a 21 anos de prisão 

Ex-padrasto que degolou enteada é condenado a 21 anos de prisão 

Acusado abusava de adolescente de 19 anos desde a infância da vítima, que foi assassinada cruelmente no Dia das Mães, de 2020

Polícia informou que assassinato teria sido premeditado dois dias antes do crime

Polícia informou que assassinato teria sido premeditado dois dias antes do crime

Reprodução/ Record TV Minas

O padrasto acusado de assassinar a enteada de 19 anos, no Dia das Mães do ano passado, foi condenada, nesta quarta-feira (13), a 21 anos e um mês por homicídio qualificado, em regime fechado.

O réu, Célio Matozinhos, de 36 anos, matou a adolescente no dia 10 de maio de 2020, no Morro do Papagaio, na região centro-sul de Belo Horizonte,  a golpes de facão dentro da casa da ex-mulher, mãe da vítima.

O crime

A jovem Jenifer Flaviana Soares, de 19 anos, foi visitiar a mãe, Luciene Soares, no Dia das Mães, que na época já estava separada de Célio. Mas o acusado ainda morava na mesma casa.

Segundo a polícia, Jenifer tinha uma relação conflituosa com o ex-padrasto e teria sido vítima de abuso sexual quando tinha 9 anos, logo no início da relação da mãe com o condenado. E jovem morava com o namorado na região do Barreiro, em BH.

No momento do crime, Luciene dava banho no filho mais novo e disse que não ouviu nenhuma discussão antes da filha ser violentamente golpeada. Já a Polícia Civil, durante as investigações, concluiu que Matozinhos premeditoou o crime, já que havia comprado o facão utilizado no crime, dois dias antes.

Últimas