Minas Gerais Fura-filas em MG: CPI deve ouvir ex-assessora e diretora da Saúde

Fura-filas em MG: CPI deve ouvir ex-assessora e diretora da Saúde

Início dos depoimentos está marcado para às 9h; interrogadas também respondem processo administrativo do Governo Estadual

Fraude teria acontecido na Secretaria de Saúde

Fraude teria acontecido na Secretaria de Saúde

Divulgação/Imprensa MG/Gil Leonardi

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investiga possível fura-fila da vacina da covid-19 na Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais deve ouvir, nesta terça-feira (4), a ex-assessora-chefe de comunicação da pasta, Virgínia Cornélio da Silva, e a diretora de Vigilância de Agravos Transmissíveis, Janaína Fonseca Almeida.

O início dos depoimentos está marcado para às 9 horas e as duas serão interrogadas na condição de investigadas. Os deputados querem descobrir se servidores da Secretaria Estadual de Saúde foram imunizados antes da hora.

As duas aparecem na lista de vacinados da pasta. Para Virgínia, foi atribuída a justificativa de trabalho em campo, enquanto Janaína ganhou a classificação de trabalho presencial.

Ambas também respondem um processo administrativo do Governo de Minas desde que a CGE (Controladoria-Geral do Estado) encontrou indícios de ilegalidades na vacinação de servidores da pasta. Segundo o órgão,  foram identificadas inobservância de normas e da ordem de priorização dos grupos para vacinação, valimento indevido do cargo público e aplicação indevida de verbas públicas para os imunizantes da covid-19.

Ainda não se sabe, no entanto, quais seriam os possíveis envolvimentos de Virgínia e de Janaína com o caso. Em contato com a reportagem na última semana, Virgínia destacou que o depoimento na CPI será para ela uma oportunidade de esclarecer como foi a vacinação da equipe de comunicação que ela chefiou até março passado, quando foi exonerada. A jornalista nega que tenha cometido irregularidades.

"Desde o começo, houveram muitas controvérsias em relação ao nosso papel, assim, posso explicar para todos. Eu segui o que foi determinado pela chefia. Jamais faria algo que não fosse correto", disse ao R7.

A reportagem não conseguiu contato com Janaína para comentar sobre o depoimento. O R7 procurou a SES para tentar posicionamento da servidora que continua na pasta, mas a Secretaria informou que não poderia fazer o contato.

Janaína não compareceu ao primeiro depoimento marcado pela CPI na última semana, alegando que é investigada pelo Governo Estadual. Desta vez, os deputados a convocaram na condição de investigada para que possa cooperar.

Ex-chefe de gabinente

O ex-chefe de gabinete da Secretaria Estadual de Saúde João Pinho prestou depoimento nesta segunda-feira (3). Pinho foi demitido no último dia 22 de abril após o vazamento do áudio de uma reunião em que ele teria sugerido retirar do home office dois funcionários da equipe de comunicação da SES que já estavam vacinados e continuavam trabalhando em casa. A gravação deixa a entender que a medida seria para evitar "exposição" da dupla em meio à investigação sobre o caso dos fura-filas. Pinho negou que tenha tentado burlar as investigações.

Últimas