Minas Gerais Lucro de 9 meses da Vale em 2020 paga 75% do oferecido em acordo

Lucro de 9 meses da Vale em 2020 paga 75% do oferecido em acordo

Mineradora ofereceu R$ 29 bilhões para compensar Governo de MG e atingidos pelo rompimento da barragem em Brumadinho

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7, com Enzo Menezes, da RecordTV Minas

Resumindo a Notícia

  • Vale ofereceu R$ 29 bilhões para compensar as perdas causadas pela tragédia em Brumadinho
  • Lucro da mineradora em 2020 foi de R$ 21,9 bilhões, entre janeiro e setembro
  • Governo de Minas, MP e Defensoria rejeitaram a proposta e abandonaram as negociações
  • Mineradora diz confiar no Judiciário
Rompimento da barragem completa 2 anos na próxima segunda

Rompimento da barragem completa 2 anos na próxima segunda

Reprodução/Record TV

Entre janeiro e setembro do ano passado, a Vale lucrou R$ 21,9 bilhões, o suficiente para pagar 75% do que a mineradora ofereceu para compensar o Governo de Minas e os atingidos pelas consequências causadas pelo rompimento da barragem da mina Córrego do Feijão, em Brumadinho. O desastre matou 270 pessoas e atingiu outras milhares de pessoas ao longo da bacia do rio Paraopeba. 

Nesta quinta-feira (21), o Governo de Minas anunciou que não sentaria mais à mesa de negociação com representantes da empresa para fechar um acordo. O Executivo mineiro, o Ministério Público e a Defensoria Pública cobravam R$ 54 bilhões da mineradora tanto pelas perdas econômicas, como os danos sociais. Por sua vez, a Vale apresentou uma contraproposta de R$ 29 bilhões, pouco mais da metade do valor pretendido. 

Veja: Promotor diz que lucro da Vale é "notícia triste de Natal"

De acordo com informações divulgadas pela própria Vale, de janeiro a setembro do ano passado, a mineradora registrou lucro de R$ 21,88 bilhões. Isso significa que, descontando todos os pagamentos e investimentos feitos pela Vale, esse foi o montante que ela dividiu com acionistas. O resultado do quarto trimestre deve ser divulgado no mês que vem.

Confira o lucro da Vale em 2020:

- 1º trimestre: R$ 984 milhões
- 2º trimestre: R$ 5,3 bilhões
- 3º trimestre: R$ 15,6 

Caso a mineradora tenha mantido o lucro médio mensal de 2020 (R$ 2,2 bilhões) nos três últimos meses do ano passado, o montante chegaria próximo ao valor oferecido como contraproposta à oferta do Governo de Minas. Na prática, para a Vale é como se os danos causados pela maior tragédia socio-ambiental do Brasil custasse um ano de lucro da empresa.  

Leilão

O Governo de Minas, o MP e a Defensoria Pública decidiram deixar a mesa de negociações após a audiência de conciliação no Tribunal de Justiça desta quinta-feira (21). O secretário-geral de Minas Gerais, Mateus Simões (Novo), disse ao final do encontro que o Governo não entraria em um leilão e que a Vale deveria se responsabilizar pelas consequências da tragédia ocorrida em janeiro de 2019. 

- É o momento de a Vale assumir a sua responsabilidade, agir com dignidade e reparar os danos que foram causados aos mineiros ou demonstrar o seu antagonismo com Minas Gerais e a sua posição de inimiga dos mineiros.

A Justiça deu prazo até a próxima semana para que a mineradora apresente uma nova proposta. Caso o acordo não seja celebrado, o assunto volta à primeira instância da Justiça. 

Versão da Vale

Em nota, a Vale afirmou que "reconhece, desde o dia do rompimento, sua responsabilidade pela reparação integral dos danos causados" e que tem prestado assistências às famílias e regiões impactadas.

A mineradora cita que pagou indenizações individuais a cerca de 8.700 pessoas e que já destinou cerca de R$ 10 bilhões a ações de reparação.

"A Vale considera fundamental reparar os danos causados de maneira justa e ágil e tem priorizado iniciativas e recursos para este fim", diz trecho da nota.

Ainda de acordo com a Vale, "embora as partes não tenham chegado a consenso, a divergência concentra-se em aspectos relacionados a valores a serem pagos e à sua destinação", diz a nota. Por fim, disse também que confia na Justiça.

Últimas