Minas Gerais MG acaba com restrições na última região classificada na Onda Roxa

MG acaba com restrições na última região classificada na Onda Roxa

Região Nordeste avança da Onda Roxa para a Vermelha e poderá reabrir os estabelecimentos comerciais a partir de sábado (1º)

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7

Todas as cidades de Minas poderão abrir comércio não-essencial a partir de sábado (1º)

Todas as cidades de Minas poderão abrir comércio não-essencial a partir de sábado (1º)

Divulgação/Prefeitura Uberlândia

A última região de Minas Gerais que estava na Onda Roxa, do programa Minas Consciente, a região Nordeste, avançou para a Onda Vermelha e poderá reabrir todo tipo de comércio a partir do próximo sábado (2). A decisão foi tomada em reunião do Comitê Extraordinário Covid-19 nesta quinta-feira (29). 

De acordo com o Governo de Minas, nos últimos 14 dias, o Estado teve queda de 38% na incidência da covid-19, devido às medidas restritivas adotadas ao longo dos últimos 45 dias. 

Além da região Nordeste, que avançou para a Onda Vermelha, ourtas quatro regiões saíram da Onda Vermelha para a Amarela: Norte, Triângulo do Norte, Vale do Aço e Jequitinhonha.

Além destas, as microrregiões de Curvelo, Patos de Minas, João Pinheiro, Carangola, Muriaé, Ubá, Cássia/Passos, Piumhi e São Sebastião do Paraíso também poderão seguir as regras da Onda Amarela.

De acordo com o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, o número de testes positivos vem caindo nas últimas semanas, assim como a pressão por leitos. 

— Essa queda demonstra que o vírus está circulando menos na sociedade. Tivemos queda consistente no número de novos casos. Os dados indicam que o nosso pico foi no dia 15/4 e a onda roxa foi fundamental para que não tivéssemos uma alta muito pior do que a que vivenciamos.

Vacinação

Ainda de acordo com o secretário, outro fator que contribuiu para a queda nos números de óbitos é a campanha de vacinação contra a covid-19, principalmente entre os idosos.

— Desde março, quando a população acima de 90 anos recebeu imunidade total após a segunda dose, a proporção de mortes desse grupo está caindo. A nossa expectativa é de que a faixa entre 60 e 79 anos, que hoje equivale à maior taxa de óbitos, também tenha queda expressiva com a segunda dose”.

Cirurgias eletivas

O Comitê Executivo Covid-19 decidiu postergar até o dia 30 de junho, a suspensão das cirurgias eletivas. A principal preocupação é a estabilização do estoque de medicamentos e anestésicos necessários para a intubação. 

O colegiado estuda a possibilidade de autorizar uma retomada gradual dessas cirurgias ao longo desse período, principalmente para as operações que não precisem de remédios que fazem parte do kit intubação. 

Últimas