MP investiga estabilidade de barragens em Paracatu (MG)

Segundo a Promotoria de Meio Ambiente, avaliação é necessária mesmo com a existência de laudos que indicam regularidades na estrutura

Barragens ficam em Paracatu (MG)

Barragens ficam em Paracatu (MG)

Reprodução / Google Street View

O MPMG (Ministério Público de Minas Gerais), instaurou um inquérito, nesta sexta-feira (8), para investigar a segurança e a estabilidade de duas barragens que ficam em um dos maiores complexos de rejeitos de mineração do país, em Paracatu, a 504 quilômetros de Belo Horizonte.

As barragens alvo das investigações são conhecidas como Eustáquio e Santo Antônio e são destinadas à mineração de ouro. Informações iniciais sobre a represa já foram colhidas. Dados do Governo de Minas e do Crea (Conselho Regional de Engenharia) também serão analisados durante o processo.

Riscos em barragens retiram 700 pessoas de casa em duas cidades

De acordo com o MP, “moradores de Paracatu e região questionam a segurança das barragens e ficam receosos com os possíveis riscos relativos às operações no complexo”. O promotor de Justiça Athaide Peres destacou que é importante verificar a estrutura do empreendimento, mesmo que os laudos apontem estabilidade do complexo.

A reportagem procurou a Kinross Brasil Mineração, responsável pelas barragens, mas ainda não teve retorno.