Nas redes, mulheres de BH aderem a movimento e expõem abusos 

Através da hashtag #ExposedBeloHorizonte, elas contam as próprias histórias de abusos e assédios sexuais; assunto é um dos mais comentados do Twitter

Denúncias podem ser oficializadas pelo 180

Denúncias podem ser oficializadas pelo 180

Pixabay

Relatos e histórias de abusos invadiram as redes sociais entre a noite de quinta (28) e esta sexta-feira (29). Usando a hashtag #ExposedBeloHorizonte, mulheres da capital mineira criaram um espaço de denúncia no Twitter para alertar: é preciso falar sobre a violência sexual.

Leia mais: Denúncia de violência contra a mulher pode ser feita online

Muitas usuárias disponibilizaram suas contas para divulgar denúncias anônimas de meninas que não se sentem confortáveis em mostrar seus nomes. Juntas e se apoiando, elas reforçam a importância de encorajar outras mulheres a contarem a própria história. 

Uma das belo-horizontinas, ao se abrir sobre a experiência de um relacionamento abusivo que viveu aos 17 anos, conta que percebeu que "gostaria muito de ter lido isso quando não tinha noção do que estava acontecendo no relacionamento". Assim como outras milhares que aderiram ao movimento, ela espera ajudar outras meninas.

Denúncias

A tag foi um dos assuntos mais comentados de BH, mas não surgiu aqui. Desde o início da semana, mulheres de diferentes lugares do país denunciam assédios, manipulações, estupros, relacionamentos abusivos e agressões a partir do termo "Exposed"; traduzido do inglês, aquilo que vai ser exposto, desmascarado.

No Twitter, em alguns comentários, advogadas orientam quem denuncia a não expor os nomes dos supostos abusadores. Sem a comprovação do crime, as mulheres podem ser acusadas de calúnia e difamação.

As denúncias legais podem ser realizadas no Centro de Atendimento à Mulher, pelo número 180


*Estagiária do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli