Minas Gerais Polícia prende suspeita de matar gato de estimação a pauladas

Polícia prende suspeita de matar gato de estimação a pauladas

Moradora de Mateus Leme, na região metropolitana de Belo Horizonte, alegou à polícia que matou o animal uma vez que ele estaria doente

  • Minas Gerais | Hellem Malta, da Record TV Minas

Caso aconteceu em Mateus Leme (MG)

Caso aconteceu em Mateus Leme (MG)

Reprodução / Pixabay

Uma mulher de 49 anos foi presa em flagrante, nesta sexta-feira (9), suspeita de matar, a pauladas, o gato de estimação em Mateus Leme, na região metropolitana de Belo Horizonte.

De acordo com a Polícia Civil, a detida alegou que o animal estava doente.

Segundo a PCMG (Polícia Civil de Minas Gerais), uma equipe foi até o local após receber denúncias de moradores da região. Na residência da suspeita, foram encontrados outros animais de estimação em situação insalubre. A mulher afirmou ter levado o animal para um lote vizinho e dado diversas pauladas no gato. Depois, ela jogou o animal em uma sacola de lixo.

Veja: Mulher é presa por maus-tratos a animais em 1ª ação após Lei Sansão

A Polícia Civil também apurou que o marido da suspeita também teria matado dois cachorros da mesma forma recentemente. O homem de 53 anos foi conduzido à delegacia e confessou o ato, informando ainda que teria usado o mesmo pedaço de madeira que a esposa utilizou para matar o gato. Ele será indiciado por maus-tratos contra cães e irá responder em liberdade.

Mudanças na lei

No dia 29 de setembro, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou o projeto de lei 1095/19, aumentando para cinco anos a pena para quem maltratar cães e gatos. A mudança no código penal foi apelidada de “lei Sansão”, em referência ao cachorro que teve as patas traseiras decepadas em Confins, na Grande BH.

Últimas