Minas Gerais Professores da rede municipal de BH decidem sobre manter greve

Professores da rede municipal de BH decidem sobre manter greve

Sind-Rede, que representa a categoria, deflagrou "greve sanitária" nesta semana; volta às aulas está marcada para segunda (3)

Professores fazem assembleia para decidir se mantém ou não a greve

Professores fazem assembleia para decidir se mantém ou não a greve

Divulgação/Sind-Rede

Os professores e trabalhadores da educação pública de Belo Horizonte fazem uma assembleia nesta sexta-feira (30) para decidir sobre os rumos da greve sanitária que começou na última segunda-feira (26). A reunião será virtual e está marcada para as 14 horas. 

A volta às aulas na rede municipal da capital mineira está marcada para a próxima semana, de forma escalonada, para os alunos de 0 a 5 anos de idade. 

O Sind-Rede (Sindicato dos trabalhadores em Educação da Rede Pública Municipal de Belo Horizonte), que representa a categoria, estima que, nesta semana, a adesão foi de cerca de70% dos trabalhadores em educação e que a expectativa é manter a greve. 

A greve sanitária deflagrada pelo sindicato tem como base a falta de segurança para o retorno às aulas presenciais.

Nesta semana, o sindicato rebateu uma crítica do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), que chamou de "esdrúxula e egoísta" a greve deflagrada pelos trabalhadores. Em nota, o Sind-Rede afirmou que vem lutando pelo isolamento social e por um "lockdown de verdade" na cidade e que a greve é responsável com as crianças e suas famílias. 

"A existência de uma pandemia, que está matando mais de 3000 pessoas por dia no país e que aponta para o aumento do risco de contaminação e morte dos envolvidos na atividade escolar, e em toda a comunidade no entorno, é suficiente para afirmamos que existe um risco eminente à saúde dos Trabalhadores em Educação, das crianças e suas famílias", diz trecho da nota. 

Indicadores

Uma semana após a abertura do comércio não-essencial e a permissão para funcionamento das escolas particulares, o índice de transmissão por infectado – que serve como indicador para ver se há expansão da contaminação na cidade – está em 1,01, em nível de atenção

A taxa de ocupação de leitos de UTI está em 78,9% e, nas enfermarias, esse percentual é de 60,3%.  

Últimas