Minas Gerais Renda Minas: auxílio de R$ 39 será pago pelo governo a partir do dia 13

Renda Minas: auxílio de R$ 39 será pago pelo governo a partir do dia 13

Programa criado em setembro pelo governador Romeu Zema (Novo) tem o objetivo completar a renda do auxílio emergencial pago pelo Governo Federal

Programa foi criado pelo governador Romeu Zema (Novo)

Programa foi criado pelo governador Romeu Zema (Novo)

undefined

O Governo de Minas Gerais informou que as parcelas do programa Rede Minas, que dá R$ 39 por pessoa para cada famíia na extrema pobreza, vão começar a ser pagas a partir do dia 13 de novembro. O cronograma inicial previa o início do pagamento em outubro.

O programa foi criado pelo governador Romeu Zema (Novo) e tem como objetivo complementar a renda do auxílio emergencial pago pelo governo federal.

O cronograma de pagamento foi repassado pela Secretaria de Desenvolvimento Social do Governo do Estado, nesta sexta-feira (6).

De acordo com a secretaria, o pagamento das parcelas do programa será feito por meio da Caixa Econômica Federal. Inicialmente, outro banco estaria encarregado dessa função. Segundo a secretaria, a mudança dos bancos foi o que gerou o atraso para que o programa fosse colocado em prática. 

Beneficiários 

Um milhão de famílias, que representam 2,8 milhões de mineiros serão beneficiados. São R$ 39 por pessoa das famílias cadastradas. Uma família composta por três pessoas, por exemplo, receberá em média R$ 117 por mês. De acordo com a pasta, o Renda Minas será pago em três parcelas, duas em novembro e uma no mês de dezembro.

A ação vai atender famílias em situação de extrema pobreza, em que cada membro vive com uma renda mensal de, no máximo, R$ 89. Para receber o benefício, elas deveriam estar cadastradas até 11 de julho de 2020 no Cad-Único (Cadastro Único do governo federal).

De acordo com a secretaria, inicialmente, não há possibilidade de que o Renda Minas seja prorrogado. 

Renda Minas

O programa Renda Minas foi criado pelo governador Romeu Zema (Novo) no dia 11 de setembro, após a publicação do projeto no Diário Oficial do Estado. 

De acordo com o texto do projeto, o objetivo é "reduzir os efeitos socioeconômicos decorrentes das ações de enfrentamento do estado de calamidade pública em decorrência da pandemia do coronavírus". 

Últimas