Minas Gerais Sobe para 11 o número de mulheres que denunciaram médico por abuso

Sobe para 11 o número de mulheres que denunciaram médico por abuso

Até a última segunda-feira (2), oito vítimas já haviam prestar queixa contra o suspeito; Edilei Rosa de Novaes já foi solto da prisão após pagar fiança

Edilei Rosa Novaes já foi preso e liberado após pagar fiança

Edilei Rosa Novaes já foi preso e liberado após pagar fiança

Divulgação / Record TV Minas

O número de mulheres que denunciaram o ginecologista Edilei Rosa de Novaes, de 74 anos, de assédio sexual subiu para 11.

Até a última segunda-feira (2), oito vítimas já haviam procurado a Polícia Civil para prestar queixa contra o suspeito. Com a repercussão do caso, nesta terça-feira, outras três mulheres foram à polícia para relatar mais casos de importunação sexual.

Este é o segundo inquérito aberto para apurar suspeitas de importunação sexual cometidas pelo médico. No primeiro, Edilei foi autuado em flagrante, encaminhado para um presídio de onde foi liberado no dia seguinte após o pagamento de R$ 20 mil em fiança.

Em contato com o R7 nesta quarta-feira (4), Novaes informou que não pode comentar sobre as acusações.

Primeira denúncia

O médico foi preso no dia 27 de novembro suspeito de assediar uma paciente durante uma consulta, em um hospital particular de Belo Horizonte.

De acordo com a vítima, de 22 anos, durante o procedimento, Edilei Rosa Novaes, começou a assediá-la verbalmente é ao final da consulta a segurou pelo braço é tentou beijá-la à força.

O suspeito foi ouvido é preso em flagrante. De acordo com ele, o namorado da vítima foi autorizado a entrar no consultório mas não quis é mesmo assim a consulta transcorreu de forma tranquila.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Lucas Pavanelli