Carta aberta aos deputados estaduais de Minas

ALMG ainda precisa aprovar uso dos R$ 37,68 bilhões do acordo entre Governo de MG e Vale sobre Brumadinho 

Verba deve ser usada para reparação dos danos causados pelo rompimento da barragem

Verba deve ser usada para reparação dos danos causados pelo rompimento da barragem

EFE/Antonio Lacerda

Senhores parlamentares,

Repórter não faz apelo, faz perguntas. Mas, na Itatiaia, é diferente. A gente se envolve com os interesses do Estado. Por isso, defendi o acordo do governo do Estado com a Vale, devidamente respaldado pelo Ministério Público e pela Justiça e sem prejudicar ações individuais das vítimas nos âmbitos cível e criminal.

Por isso, queria fazer um apelo aos senhores, na pessoa do presidente Agostinho Patrus. Aprovem-no o quanto antes, ignorando consequências eleitorais e interesses menores.

E, por favor, façam emendas retirando tudo o que lhes parecer impertinente como, por exemplo, quadras de skate ou obras menores, mas, pelo amor de Deus, só desta vez, abram mão das questões paroquiais e ajam como mineiros.

Sei que a reeleição depende de votos, sei que o morador de São João da Ponte, no Norte, e de Ilicínea, no Sul, é tão importante quanto o de Brumadinho, mas, desta vez, só desta vez, deixem que os recursos da Vale sejam alocados nos municípios do Vale do Paraopeba – as grandes vítimas da tragédia – e, o que for considerado pelos senhores dispensável, que seja utilizado para algo grandioso, de interesse maior.

Que tal, presidente Patrus, elencar quatro ou cinco grandes obras, como metrô de verdade para Belo Horizonte, Anel Rodoviário de verdade ou (até que enfim) reforma da BR 381 para que os deputados possam escolher. De repente, incluir algo grande em outra região do Estado.

Quero pedir que resguardem os grandes projetos, como o Rodoanel, a conclusão dos hospitais regionais e a reforma dos grandes hospitais de Belo Horizonte, e evitem diluir o restante em pequenos agrados a suas bases eleitorais.

Agora mesmo estou vendo o presidente dividindo sua boa ideia do auxílio emergencial com os colegas. Que tal uma emenda coletiva para levar o nosso trem que chamam de metrô ao Barreiro, ou a Betim ou a Confins e, no dia da inauguração, colocar os nomes dos senhores com dizeres mais ou menos assim: “Presente dos deputados que, embora oriundos das muitas Minas Gerais, reconhecem a importância da nave mãe e sua região metropolitana?”.

Se olharmos no retrovisor as últimas décadas ficaremos envergonhados com a ausência de grandes obras em nossa capital, não apenas quando comparada a Rio e São Paulo, mas, a Fortaleza, Recife, Brasília, Salvador e um sem número de outras cidades.

Essa é a hora de Belo Horizonte, senhores deputados!

Últimas