O que é que eu faço Sophia Site para devolução do auxílio emergencial está fora do ar

Site para devolução do auxílio emergencial está fora do ar

Falha impede que contribuinte imprima a guia de pagamento para devolver valores; ministério está apurando ocorrido

Auxílio emergencial é pago em conta digital que pode ser movimentada por aplicativo

Auxílio emergencial é pago em conta digital que pode ser movimentada por aplicativo

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Após 627 mil pessoas terem sido notificadas de que deveriam devolver o auxílio emergencial recebido de forma indevida, o site para devolução (http://aplicacoes.cidadania.gov.br/aviso/devolucao), meio pelo qual as pessoas devem entrar em contato e imprimir a Guia de Recolhimento da União (GRU) para devolver os valores, estava fora do ar nesta quinta-feira (7).

SITE PARA DEVOLUÇÃO DO AUXÍLIO EMERGENCIAL FORA DO AR

SITE PARA DEVOLUÇÃO DO AUXÍLIO EMERGENCIAL FORA DO AR

Reprodução

Segundo a mensagem, o sistema está em manutenção e deve retornar apenas no próximo sábado (9).

A coluna entrou em contato com o Ministério da Cidadania para saber o que houve, mas a informação foi de que ainda se estava apurando o ocorrido.

Falha impede emissão de GRU

Para devolver as parcelas recebidas fora dos critérios para recebimento do auxílio, é preciso acessar o site que está com problema, inserir o CPF cadastrado no auxílio e clicar na opção “Emitir GRU”. Nesse momento, o sistema gera uma Guia de Recolhimento da União (GRU), que poderá ser paga nos bancos.

Quem tem que devolver o dinheiro?

Quem recebeu os recursos de forma indevida por não se enquadrar nos critérios de elegibilidade do programa, como:

• Quem estava recebendo benefícios do governo federal, como aposentadoria, seguro-desemprego ou Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda;

• Quem tinha carteira assinada na data do requerimento do auxílio emergencial;

• Trabalhadores que ao declarar o IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física) geraram Darf para restituição de parcelas do auxílio emergencial, mas que ainda não efetuaram o pagamento;

• Pessoas identificadas com renda incompatível com o recebimento, entre outros casos.

Últimas