Usei meu CPF como chave Pix, mas mudei de banco. E agora?

Não é possível usar a mesma chave para duas contas diferentes, mas é possível mudar a chave de banco, entenda o processo

Pix, dinheiro em 10 segundos

Pix, dinheiro em 10 segundos

WILLIAN MOREIRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Usei meu CPF como chave Pix, mas agora mudei de banco. O que eu faço?

Pergunta do internauta Marcos

Resposta: Não é possível usar a mesma chave para duas contas diferentes, mas é possível mudar a chave de banco. Há duas alternativas, caso queira manter o uso do CPF como sendo a chave Pix.

a) Portabilidade: acesse o canal da instituição de destino e requisite a portabilidade de sua chave. Para isso, ao receber o pedido de confirmação da sua instituição de origem, você deverá acessar o dessa instituição e confirmar a portabilidade. O prazo para confirmação é de 7 dias.


b) Exclusão/Cadastro: acesse a opção "Minhas chaves" e exclua a chave cadastrada originalmente. Acesse o aplicativo da outra instituição e, também na opção "Minhas chaves", efetue o cadastro da respectiva chave.

O Banco Central lembra que entre o período em que o cadastro original foi excluído e a confirmação do novo cadastro, essa chave não estará vinculada a nenhuma de suas contas.

O banco não pode impedir o cliente de migrar a chave Pix para outra instituição.

O que é o Pix?

O Pix é um meio de pagamento instantâneo que tem a mesma função de uma TED, DOC ou boleto. A diferença é que este novo meio de pagamento permite que a transferência do dinheiro seja realizada em qualquer dia, incluindo fins de semana e feriados, a qualquer hora.

A transferência de dinheiro entre quem paga e quem recebe vai demorar no máximo dez segundos, informa o Banco Central.

Como fazer cadastro no Pix

O cadastro para utilização do Pix poderá ser realizado por meio de um dos canais de acesso da instituição em que você possui conta, inclusive aplicativo instalado no smartphone.

Para o registro, o cliente terá de confirmar a posse da chave (número de CPF ou de celular, um endereço de e-mail ou até mesmo uma combinação escolhida pelo usuário) e vinculá-la a uma conta para recebimento dos recursos.

Desta forma, será preciso apenas informar a chave do Pix para receber uma transferência, sem precisar passar o número de agência e conta e CPF, dados necessários para transações convencionais realizadas pelos bancos, como TED e DOC.

_______________________________________
Ainda ficou com alguma dúvida? Envie suas perguntas para a coluna “O que é que eu faço, Sophia?” pelo e-mail sophiacamargo@r7.com.

Últimas