Crivella diz que poderá consultar a população sobre festa de Réveillon

Prefeitura do Rio estuda diversas maneiras de promover o evento devido à pandemia. Já a definição sobre o Carnaval ainda depende de nova reunião

Réveillon 2021 pode ser adaptado devido à pandemia

Réveillon 2021 pode ser adaptado devido à pandemia

Fernando Maia/Riotur

O prefeito do Rio Marcelo Crivella disse nesta segunda-feira (27) que estuda diversos modelos para a realização da festa de Réveillon em meio à pandemia do novo coronavírus.

Em entrevista à Record TV Rio, Crivella ressaltou que poderá fazer uma pesquisa com a população carioca antes de anunciar uma definição sobre o evento. 

"Há vários organizadores, produtores, pessoal dos hotéis e a própria Riotur que estão imaginando fazer um Réveillon que a gente tenha a festa, mas não haja presença nas praias. Outros acham que essa presença pode ser dividida em setores da areia, com pessoas usando máscara. Isso vai depender muito do avanço da doença, da diminuição dessas curvas", alertou.

Em seguida, acrescentou sobre a possibilidade de fazer uma consulta à população:

"Mas é preciso saber da população do Rio o que está pensando. Tomadas as medidas sanitárias e também os produtores, vamos consultar numa pesquisa para saber o que sente e qual a reação do povo do Rio", explicou.

Em relação ao Carnaval, o prefeito destacou que a Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro) e a Vigilância Sanitária consideram prematura uma decisão neste momento. 

Crivella disse que uma reunião está marcada para o dia 15 de setembro para verificar se o evento vai ser realizado como o futebol "com jogo, mas sem torcida".

No último sábado (25), a Riotur divulgou um comunicado no qual explicou que estuda diferentes formatos, inclusive virtual, para realizar o Réveillon.

Para a Empresa Municipal de Turismo, o modelo tradicional do evento, assim como o Carnaval, não é viável neste cenário de pandemia, sem uma vacina.