Rio de Janeiro Homens acusados de matar idosa e diarista no Flamengo viram réus

Homens acusados de matar idosa e diarista no Flamengo viram réus

Vítimas foram encontradas degoladas e carbonizadas em apartamento, no dia 9 de junho, na zona sul do Rio

Idosa e diarista foram mortas por pintores que realizaram serviço no imóvel, segundo a denúncia

Idosa e diarista foram mortas por pintores que realizaram serviço no imóvel, segundo a denúncia

Reprodução

A Justiça do Rio aceitou, no domingo (3), a denúncia do MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) contra os dois acusados de matar uma idosa e uma diarista no Flamengo, zona sul do Rio.

William Oliveira Fonseca e Jhonatan Correia Damasceno vão responder pelos crimes de latrocínio (roubo seguido de morte), extorsão qualificada e incêndio, segundo informaçãoes do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio). 

O juiz Flávio Itabaiana de Oliveira Nicolau, da 27ª Vara Criminal da capital, também decretou a prisão preventiva de William. Já a prisão em flagrante de Jhonatan havia sido convertida em preventiva no dia 12 de junho, durante audiência de custódia.

As vítimas Martha Maria Lopes Pontes, de 77 anos, e Alice Fernandes da Silva, de 51, foram encontradas degoladas e carbonizadas, no dia 9 de junho, no imóvel incendiado.

As investigações revelaram que a dupla presa havia prestado serviço, dias antes do crime, como pintores no apartamento da idosa.

De acordo com a denúncia, no dia 9, eles voltaram ao imóvel e foram recebidos pela diarista Alice, que acabou refém. Em seguida, renderam Martha e imobilizaram as duas. Jonathan, então, obrigou Martha a preencher e assinar três folhas de cheques no valor de R$ 5.000 cada um. Após sacar o valor em uma agência bancária, ele retornou ao apartamento, e os dois fugiram depois de cometer o duplo homicídio.

Últimas