João Pedro: MP-RJ encaminhará à PF estojo de fuzil  achado em quintal

Objetivo da perícia é comparar material com o que teria sido usado pelos policiais civis durante a operação que terminou na morte do jovem de 14 anos

João Pedro foi atingido por tiro de fuzil

João Pedro foi atingido por tiro de fuzil

Reprodução

O MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) enviará à Polícia Federal nos próximos dias oito estojos de fuzil que teriam sido encontrados no quintal da casa onde João Pedro, de 14 anos, foi morto durante operação, no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, região metropolitana do Rio de Janeiro.

O órgão tem como objetivo apurar se os estojos de munição 556. encontrados são referentes às armas dos policiais civis presentes na operação que levou à morte de João Pedro. Para a comparação, a Polícia Federal deve periciar o fuzil dos agentes, além de um projétil encontrado no corpo da vítima.

Uma perícia já realizada no projétil que estava no corpo de João Pedro apresentou resultado inconclusivo, sendo incapaz de relacionar a bala aos fuzis dos policiais envolvidos na operação.

Caso João Pedro

João Pedro foi morto dentro de casa no dia 18 de maio durante uma operação em conjunto das polícias Civil e Federal, no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, na região metropolitana. 

O jovem foi levado ferido de helicóptero pelas forças de segurança logo em seguida, mas ninguém da família foi avisado sobre o paradeiro. Depois de oito horas sem notícias de João Pedro, os parentes foram comunicados sobre a morte dele.

No imóvel, onde João Pedro foi baleado, mais de 70 marcas de tiros foram encontradas. O pai da vítima chamou a ação da polícia de "descontrolada".

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira