São Paulo Após confronto com PM, manifestantes marcam novo protesto contra passagem de ônibus

Após confronto com PM, manifestantes marcam novo protesto contra passagem de ônibus

Até às 12h, mais de 3.800 pessoas indicaram no Facebook que participarão do protesto

  • São Paulo | Do R7

Policiais do choque ocupam avenida Paulista durante manifestação; 15 pessoas foram detidas

Policiais do choque ocupam avenida Paulista durante manifestação; 15 pessoas foram detidas

Mario Ângelo/Sigmapress/Estadão Conteúdo

São Paulo deve ter, nesta sexta-feira (7), uma nova manifestação contra o aumento da tarifa do transporte público de São Paulo. A concentração está marcada para as 17h, no largo da Batata, em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo. O protesto, marcado pelo Facebook, já tinha confirmação de cerca de mais de 3.800 pessoas por volta das 12h.


Nesta quinta-feira (6), um protesto contra a nova tarifa — que ficou em R$ 3,20 —acabou em confronto com a Polícia Militar e 15 detidos. Entre os presos, está o presidente do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, Altino de Melo Prazeres Júnior, que prestou depoimento e foi liberado.

A polícia informou também que, durante a manifestação, houve depredação do terminal Bandeira e de alguns ônibus — não foi informada a quantidade dos veículos. A área externa do Masp (Museu de Arte de São Paulo) sofreu com vandalismo e várias latas de lixo foram queimadas na avenida Paulista.

Leia mais notícias de São Paulo

Além deles, as estações de metrô Paraíso, Trianon e Brigadeiro foram danificadas. Os manifestantes tentaram também invadir a estação Anhangabaú e chegaram a invadir o metrô Paraíso.

Três vias foram interditadas pelos manifestantes, segundo a PM. Duas delas — avenida Nove de Julho e Vinte e Três de Maio — foram tomadas pelo protesto. A terceira via foi a avenida Paulista, que ficou bloqueada totalmente nos dois sentidos.

Últimas