São Paulo Com quatro anos de atraso, trecho do Monotrilho é entregue em SP

Com quatro anos de atraso, trecho do Monotrilho é entregue em SP

As estações São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói e Vila União funcionam de segunda-feira à sexta-feira, das 10h às 15h, sem cobrança de tarifa

Alckmin entrega com atraso quatro estações do Monotrilho em SP

Alckmin entrega com atraso quatro estações do Monotrilho em SP

Divulgação/Governo de SP

Com quatro anos de atraso, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) inaugura na manhã desta sexta-feira o novo trecho da linha 15-Prata do Metrô, conhecida como Monotrilho.

As novas estações São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói e Vila União funcionam em operação assistida, de segunda-feira à sexta-feira, das 10h às 15h, sem cobrança de tarifa.

Alckmin entrega trem SP-Aeroporto de Guarulhos e diz: atraso é mentira

O monotrilho é uma promessa antiga de Alckmin. O tucano inaugurou em outubro de 2014 as primeiras estações: Vila Prudente e Oratório, na zona leste da capital paulista. Ao todo, serão 24,5km de linha — o trecho que vai de Oratório a São Mateus deveria estar pronto até o final de 2014. Já a previsão de conclusão para a última etapa, até a Cidade Tiradentes, é até o final de 2016.

Após 6 anos, monotrilhos de SP colecionam falhas, atrasos e estão mais caros

Estação Moema foi inaugurada em SP com quatro anos de atraso

Estação Moema foi inaugurada em SP com quatro anos de atraso

Luiz Claudio Barbosa/Agência Estado

Estações

Em três dias, seis estações de metrô começarão a funcionar na cidade de São Paulo, todas com atraso. O ritmo intenso de inaugurações acompanha a última semana de atividades de Alckmin como governador do Estado — ele deixa o cargo para concorrer à Presidência da República.

Com também quatro anos de atraso, o tucano inaugurou na quinta-feira (5) a estação Moema da linha 5-Lilás do Metrô. A estação fica na esquina da avenida Ibirapuera com a avenida Divino Salvador, na zona sul. Durante um mês, a estação irá funcionar em operação assistida, com funcionamento de segunda-feira à sábado, das 10h às 15h, sem cobrança de tarifa. Progressivamente, o horário será ampliado até que a estação opere normalmente — todos os dias, das 4h40 à 0h, mediante a tarifa de R$ 4.

A linha 5-Lilás tinha a entrega a final marcada para 2014. Data que foi postergada para 2016, depois para 2017 e, agora, para o final de 2018. O governo estima que 800 mil pessoas utilizem a linha. O objetivo da linha é ligar o Capão Redondo à Chácara Klabin, com interligação com o monotrilho e as linhas 1-Azul e 2-Verde, amba do Metrô. No entanto, o governo ainda falta entregar cinco estações: Campo Belo, AACD-Servidor, Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin.

Alckmin inaugurou Oscar Freire com seis anos de atraso em SP

Alckmin inaugurou Oscar Freire com seis anos de atraso em SP

Carla Carneil / Estadão Conteúdo

Já com seis anos de atraso, Alckmin abriu na última quarta-feira (4) a estação Oscar Freire, da Linha 4-Amarela do Metrô. A estação irá funcionar de segunda-feira a domingo, das 10h às 15h, pelo período de 15 dias.

O formato é chamado de Operação Comercial Restrita, e consiste na maturação dos equipamentos e sistemas, como os de alimentação elétrica, sinalização e telecomunicações. O funcionamento da estação será ampliado posteriormente, operando de domingo a sexta-feira das 4h40 à 0h, e aos sábados das 4h40 à 1h.

A Oscar Freire passa a ser a nona estação em funcionamento na Linha 4-Amarela, que é operada pela concessionária ViaQuatro. Com a estimativa de receber 24 mil pessoas diariamente, a estação não vai alterar a extensão da rede metroviária da capital paulista, de 83,3 km, já que fica no trecho intermediário entre Paulista e Fradique Coutinho, ambas em operação.