São Paulo Coronavírus: Masp fecha as portas por tempo indeterminado 

Coronavírus: Masp fecha as portas por tempo indeterminado 

Medida vale a partir desta terça (17), seguindo determinação do governo estadual. Primeiro caso de morte no estado foi confirmado

  • São Paulo | Do R7

Masp adiou

Masp adiou

ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

O Masp (Museu de Arte de São Paulo) está fechado por tempo indeterminado para visitantes e funcionários a partir desta terça-feira (17), devido ao aumento no número de casos de coronavírus

Leia também: Aquário de São Paulo é fechado devido à pandemia de coronavírus

Algumas exposições que abririam no dia 20 de março, serão adiadas até a reabertura do museu. Durante todo esse período, informações sobre exposições e as atividades da instituição estarão disponíveis apenas nos canais digitais do Masp.

Leia também: Receio por pandemia de coronavírus derruba média de trânsito em SP

A partir desta terça, museus, bibliotecas e centros culturais gerenciados pelo governo estadual ficam fechados por 30 dias. A recomendação vale também para de cinemas, teatros e casas de espetáculos.

Primeira morte

Nesta terça, foi confirmada a primeira morte por coronavírus no estado de São Paulo. A vítima é um homem de 62 anos, com diabetes e hipertensão, que estava internado na UTI de um hospital particular desde 14 de março.

Mudanças

Todos os eventos públicos estaduais e municipais foram cancelados.  Repartições públicas estaduais como os postos do Poupatempo, restaurantes do Bom Prato, postos do Detran e os Centros de Cidadania terão o fluxo de entrada de pessoas regulado e os horários de funcionamento estendidos.

Veja também: Quem era a primeira pessoa morta por coronavírus no Brasil?

A prefeitura de São Paulo decretou estado de emergência. A frota do transporte público na capital paulista – metrô, ônibus e trens – deverá ser reduzida. O governo dará férias e licença-prêmio imediatas para os servidores que tenham direito nesse momento, exceto os servidores de áreas essenciais como segurança, saúde pública, serviços da administração penitenciária e Fundação Casa. Cirurgias eletivas foram suspensas temporariamente para não superlotar os hospitais.

Últimas