São Paulo Dois homens são presos suspeitos de matar jovem a machadada no CE

Dois homens são presos suspeitos de matar jovem a machadada no CE

Polícia Civil acredita que crime pode ter ligação com facções criminosas

Dois homens são presos suspeitos de matar jovem a machadada no CE

Presos suspeitos de matar adolescente com machado

Presos suspeitos de matar adolescente com machado

Reprodução/SSPDS-CE

A Polícia Civil do Estado do Ceará prendeu duas pessoas suspeitas de participarem do assassinato do adolescente Wesley Tiago de Sousa Carvalho, 17 anos, a golpes de machado, no dia 30 de dezembro. O crime contra o jovem foi filmado e o vídeo divulgado nas redes sociais.

Investigações do DHPP (Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa), da Polícia Civil, apontam que os presos José Carlos Evangelista dos Anjos e Luciano Alves de Souza, o Peba, aparecem dando as machadadas nas imagens do crime cometido na Comunidade do Coco, região da Praia do Futuro (Fortaleza).

As informações sobre as prisões foram divulgadas pela polícia civil cearense na manhã desta quarta-feira (10). A polícia ainda afirma que identificou nas imagens, porém seguem foragidos, Abraão Jhonny Alves de Freitas e uma mulher identificada apenas como Carine — ela teria atraído a vítima para o local e filmado toda a ação.

Segundo a Polícia Civil, o crime tem relação com outras duas mortes, incluindo a de um bebê de cinco meses, no bairro do Pici, a cerca de 15 km do local de onde ocorreu o crime. O DHPP acredita que o crime pode ter sido motivado por disputa entre facções criminosas.

Adolescentes mortos em Fortaleza

Há dois meses, em 13 de novembro do ano passado, quatro adolescentes foram brutalmente assassinados em Fortaleza.

Na ocasião, criminosos invadiram o Centro de Semiliberdade Mártir Francisco, retiraram os jovens com idades entre 12 e 17 anos, que estavam internados no local, e o assassinaram com tiros e golpes de facão e faca.

A exemplo do que aconteceu este ano, o crime contra os adolescentes também foi gravado. No vídeo que mostra um dos adolescentes sendo morto indica que o crime teria sido cometido por rivalidade entre facções criminosas.

Na filmagem que começou a circular logo após a chacina, o assassino pede para uma das vítimas mostrar uma tatuagem com os números 745 nos dedos. Os números correspondem à sétima, quarta e quinta letra do alfabeto, que representa a sigla GDE, da facção Guardiões do Estado.