Família arrecada R$ 129 mil para tratar médica picada por cobra

Dieynne Saugo está internada no Hospital Albert Einstein e apresentou melhora no quadro de saúde, segundo a família. Ela está com covid-19

Família arrecada R$ 129 mil para tratamento de médica picada por cobra

Família arrecada R$ 129 mil para tratamento de médica picada por cobra

Reprodução / Instagram

A médica Dieynne Saugo, que foi picada por uma cobra em Mato Grosso, permanece internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Albert Einstein, na zona sul de São Paulo, e apresentou melhora na manhã desta segunda-feira (7), segundo a família.

O tratamento é custeado com doações. Para isso, a família criou a vaquinha virtual da Dy que chegou a quase R$ 129 mil arrecadados. A meta, no entanto, é de R$ 300 mil.

Segundo Nathalia Saugo, irmã da vítima, a internação de Dieynne deve ficar em torno de R$ 200 mil e o translado de Mato Grosso para São Paulo ficou em cerca R$ 50 mil.

A médica já retirou a sonda e não utiliza mais medicamentos para coagulação do sangue devido à evolução positiva do quadro clínico dela. Segundo a irmã, Stephanie Saugo, o fato de ela estar também com a covid-19 não interfere no tratamento.

“Orem por mim. Amo vocês”, afirmou Dieynne em um bilhete postado nas redes sociais por sua família. Ela foi picada duas vezes por uma cobra, no rosto e braço, quando o animal caiu na água enquanto a vítima se banhava na cachoeira em Nobres.

O incidente ocorreu em 30 de agosto. A pousada em que a médica estava hospedada não tinha soro antiofídico. Na quinta-feira (3), ela foi transferida de táxi aéreo do Complexo Hospitalar de Cuiabá para o Hospital Albert Einstein.

Cobra tinha cerca de dois metros de comprimento e caiu em queda d'agua

Cobra tinha cerca de dois metros de comprimento e caiu em queda d'agua

Reprodução/Record TV

O caso

Dieynne Saugo foi picada duas vezes por uma cobra de cerca de dois metros de comprimento. O animal caiu na água enquanto a vítima se banhava na queda d'água em Nobres, no Mato Grosso. Amigos filmaram o momento do ataque. Nas imagens, é possível ver quando a médica começa a gritar. 

A vítima foi encaminhada para um hospital em Cuiabá, onde passou por cirurgia e foi internada em estado grave na UTI. 

Leia ainda: SP tem menor taxa de isolamento desde o início da quarentena

Já no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, ela passou por uma cirurgia no braço, por volta das 3h de sexta-feira (4), de acordo com uma publicação da irmã da médica em uma rede social.