Fortes chuvas deixam mais de 500 desalojados no Estado de São Paulo

Segundo a Defesa Civil, foram distribuídos até o momento 12 toneladas de mantimentos e produtos para ajuda humanitária nas cidades atingidas

Em Taboão da Serra, 32 pessoas ficaram desalojadas

Em Taboão da Serra, 32 pessoas ficaram desalojadas

Divulgação/ Agência Brasil

As fortes chuvas que provocaram quatro mortes no Estado de São Paulo deixaram 516 pessoas desalojadas e 142 desabrigadas, segundo balanço divulgado pela Defesa Civil na manhã desta terça feira (11). Os estragos foram maiores no Vale do Ribeira, na região metropolitana da capital, na Baixada Santista e no Alto Tietê.

Em Botucatu, 80 pessoas estão desabrigadas e 27 ficaram desalojadas. De acordo com a prefeitura, 20 casas ficaram de baixo d'água com o transbordamento do Rio Lavapés. A força da enxurrada arrancou sete pontes e danificou outras cinco na cidade. Um caminhão foi engolido por uma cratera. O município decretou situação de emergência, assim como Laranjal Paulista e Taboão da Serra.

Leia também: Comerciantes da Ceagesp descartam alimentos após inundação

Em Taboão da Serra, na Grande São Paulo, 32 pessoas ficaram desalojadas. Ao todo, 190 residências foram atingidas pelos alagamentos decorrentes de transbordamento de córregos no município. Além disso, foram registrados três deslizamentos de terra que afetaram outras oito residências. Em Pirapora do Bom Jesus, o nível do rio Tietê dobrou e famílias que moram às margens foram retiradas de casa e abrigadas em duas escolas municipais. 

Ainda na região metropolitana da capital, Itaquaquecetuba teve quatro bairros inundados. As chuvas causaram ainda 19 desmoronamentos. Os estragos deixaram 100 desalojados e 28 desabrigados.

Leia também: Motorista de caminhão é engolido por cratera em rodovia de Botucatu

Os municípios de Andradina, Salto, Santa Cruz da Esperança estão com situação de emergência decretada desde o início da semana passada.

Segundo a Defesa Civil, foram distribuídos até o momento 12 toneladas de mantimentos e produtos para ajuda humanitária nas cidades atingidas pelas chuvas.

Apesar do afastamento da frente fria da costa paulista, a previsão é de que as chuvas continuem em todo estado.