Grupo divulga vídeo de invasão do Instituto Royal para retirada de ratos

Coletivo ligado aos black blocs assumiu a ação ocorrida no dia 13 em São Roque

Grupo levou roedores do instituto no último dia 13 de novembro

Grupo levou roedores do instituto no último dia 13 de novembro

Reprodução/Facebook

Uma gravação de oito minutos divulgada nesta terça-feira (19) mostra como foi a segunda invasão da sede do Instituto Royal em São Roque, no interior paulista, no último dia 13 de novembro. Nela, um grupo de cerca de 40 pessoas encapuzadas invadiram as instalações para a retirada de ratos e camundongos, os últimos animais que lá estavam.

A ação, assumida nas redes sociais pelo coletivo Armageddon Black, ligado aos black blocs, aconteceu durante a madrugada, quando o grupo rendeu três vigias que faziam a segurança do local e retiraram os roedores. Segundo informações da TV Record Sorocaba, um dos vigias chegou a ser amarrado com o cadarço do calçado que utilizava.

As imagens da gravação mostram o momento em que os seguranças são rendidos e colocados de bruços no chão. Em seguida, munido de um taco de beisebol e um machado, o grupo adentrou ao prédio do instituto e destruiu pelo menos uma porta, antes de encontrar o local onde estavam os ratos. Rapidamente, os animais são retirados da prateleira na qual estavam.

Instituto Royal pode ter de devolver dinheiro de pesquisas à União

É impossível não usar animais na pesquisa de medicamentos, diz coordenador do Concea

A seguir os animais são carregados em um veículo Fiat Strada, antes do grupo se retirar do local. O grupo ainda pichou o local com as letras ALF, uma referência ao grupo de libertação animal Animal Liberation Front (Frente de Libertação Animal). O vídeo não mostra, porém, a destruição de equipamentos do laboratório.

A reportagem do R7 procurou o delegado Marcelo Sampaio Pontes, responsável pelo caso em São Roque, mas ele disse estar licenciado e não poderia falar sobre as investigações. Já a assessoria de imprensa do Instituto Royal não retornou o pedido de entrevista com um representante do laboratório até a publicação desta matéria. A pessoa responsável pela postagem do vídeo também foi procurada, mas ainda não respondeu.

Parecer solicitado pelo MP aponta "condição insalubre" em um dos canis do Instituto Royal

Advogado de instituto suspeito de maus-tratos a animais compara ativistas a "manada de elefantes"

No dia da segunda invasão, o Instituto Royal divulgou nota em que afirmou que “a maior parte dos equipamentos que permaneciam no local foi destruída e quase todos os animais que ainda estavam nas instalações (roedores) foram levados – segundo relatos da equipe de segurança, amontoados dentro de sacolas plásticas comuns”. O instituto ainda lamentou a violência praticada contra os vigias.

Assista ao vídeo: