São Paulo Motorista que atropelou e matou menino de 4 anos não tem CNH

Motorista que atropelou e matou menino de 4 anos não tem CNH

Segundo a polícia, William Volpe é apontado como o condutor do carro que matou a criança e atropelou outra de 3 anos, que está internada

Carro que atropelou crianças é flagrado em fuga por câmera de segurança

Carro que atropelou crianças é flagrado em fuga por câmera de segurança

Reprodução Record TV

William Volpe, de 26 anos, é apontado por familiares de Kaique Pietro Ferreira da Silva, de 4 anos, como o condutor do veículo que atropelou e matou a criança na madrugada desta segunda-feira (13) em Campo Grande, na zona sul de São Paulo. As informações são da Record TV.

Segundo a polícia, o jovem que dirigia um Gol prata não tem carteira de habilitação e já tem passagens por roubo e porte ilegal de arma. Ele também não poderia estar na rua no horário porque responde pelos crimes em liberdade e, segundo o acordo judicial, deveria estar em casa após às 22 horas.

De acordo com testemunhas já ouvidas pela polícia, o motorista estaria alcoolizado no momento do acidente ou sob efeito de drogas. Ele fugiu depois de atropelar as pessoas que participavam de uma festa na borracharia da família de Kaique. 

Leia ainda: Menina que sumiu após brincar em parquinho é encontrada morta

O suspeito é morador da região e é conhecido das testemunhas, mas desde o ocorrido não foi mais localizado. O perfil dele nas redes sociais está ativo.

O pai de Kaique, Eraldo Sebastião da Silva, afirmou que o homem "atropelou todo mundo e esmagou meu filho". O garoto ficou debaixo do carro e morreu na hora. Assim que os familiares perceberam empurraram o Gol e o condutor aproveitou para dar ré, acelerar e fugir sem prestar socorro.

Veja também: Homem atira em amiga e depois mata o próprio pai no interior de SP

A tia de Kaique, Emanuele Fereira, de apenas 3 anos, também foi atingida, desmaiou e ficou gravemente ferida. Ela está internada no hospital e agora o estado de saúde dela é estável.

Eraldo Sebastião não se conforma com o atropelamento: "é horrível o que tô passando, tô muito mal. Tô há quase 20 anos nesse bairro, tudo lembra ele. Eu até montava piscina pra ele brincar lá dentro [oficina]".

A Polícia Civil procura por câmeras de segurança que possam ter registrado o acidente e pistas do paradeiro do suspeito. Uma câmera registrou a passagem do Gol em fuga.

Leia ainda: Dois homens são presos suspeitos de roubar posto na zona leste de SP

O caso 

Kaique Pietro Ferreira da Silva, de 4 anos, morreu e Emanuele Fereira, de 3 anos, ficou gravemente ferida após serem atropelados por um carro na rua Zike Tuma, altura do número 926, no bairro de Campo Grande, zona sul de São Paulo às 01h23 desta segunda-feira (13).

O pai de Kaique é dono de uma borracharia e a família estava em uma festa organizada no estabelecimento. O motorista invadiu a calçada com o carro modelo Volkswagen Gol prata e atropelou três pessoas.

Veja também: Preso algemado foge pela porta da frente de delegacia

Kaique não resistiu e morreu na hora. Emanuele e Josilayne Ferreira Lima, de 25 anos, foram atendidas e encaminhadas ao Hospital Pedreira. A criança foi internada em estado grave. Já a mulher não teve ferimentos.

O motorista fugiu sem prestar socorro às vítimas. Testemunhas no local afirmam que o atropelador passou pelo cruzamento já com o veículo desgovernado até invadir a calçada onde estavam as vítimas. Ele teria participado de uma festa em um posto de gasolina desativado, em frente à borracharia, antes do acidente.

O corpo do menino Kaique foi enterrado na manhã desta terça-feira (14).