São Paulo Polícia identifica homem que matou jovem em trilha no litoral de SP

Polícia identifica homem que matou jovem em trilha no litoral de SP

Suspeito de matar Julia Rosenberg, de 21 anos, foi reconhecido após retrato falado e comparação do DNA. Ele estava preso desde setembro

  • São Paulo | Elizabeth Matravolgyi, da Agência Record

Julia Rosenberg foi morta asfixiada

Julia Rosenberg foi morta asfixiada

Reprodução/ Facebook

A Polícia Civil de São Paulo identificou o suposto autor do crime que vitimou a jovem Julia Rosenberg, de 21 anos, que desapareceu em uma trilha e foi encontrada morta na praia de Maresias, em São Sebastião, no litoral norte de São Paulo, no dia 6 de julho. 

De acordo com a SSP (Secretaria de Segurança Pública) de São Paulo, o criminoso foi identificado e teve sua participação no crime confirmada. 

O homem já estava preso desde o dia 22 de setembro deste ano por um outro crime. A SSP não irá divulgar o nome do criminoso devido a lei de abuso de autoridade. O caso segue em investigação no 2° DP de São Sebastião.

O caso

A estudante Julia Rosenberg, de 21 anos, foi encontrada morta na manhã do dia 6 de julho em São Sebastião. Ela havia saído na manhã do dia 5, da Paúba, onde estava com sua família, para fazer uma trilha sozinha até a cidade de Maresias.

Câmeras de segurança na região onde Julia morava mostraram a jovem saindo para a trilha por volta das 7h20, vestindo uma calça preta e uma blusa rosa. Ela chegou até Maresias por volta de 8h20, segundo a última localização passada pelo celular, mas depois não foi mais encontrada com vida.

O corpo de Julia estava enterrado, coberto por folhas e terra. A vítima não apresentava sinais de violência, como ossos, dentes quebrados ou outros ferimentos graves.

De acordo com a perícia, o telefone celular, o par de tênis e uma pochete que Julia usava não foram encontrados junto ao corpo. A cinta da pochete foi usada para asfixiá-la e também foi localizada uma máscara dentro da boca da jovem. O laudo pericial apontou a causa da morte como asfixia.

Outro suspeito

Pouco menos de uma semana da morte de Julia, um homem preso por importunação sexual durante a travessia de uma balsa para Ilha Bela contou aos policiais que esteve na praia de Paúba e que seria o responsável pela morte de Julia.

Ao chegar no DP (Distrito Policial), ele desmentiu a própria versão e ainda disse que autorizaria a coleta de seu material genético para provar sua inocência.

Na hora de fazer a coleta, o homem voltou atrás mais uma vez e disse que não faria o exame. O resultado do laudo final comprovou que ele não teve envolvimento com o crime. 

Últimas