São Paulo Prefeitura estima gastar R$ 300 mil para vistoria em cada viaduto de SP

Prefeitura estima gastar R$ 300 mil para vistoria em cada viaduto de SP

Planilhas obtidas com exclusividade pelo R7 detalham os custos estimados pela gestão municipal para investigação detalhada em vias da capital paulista

Viaduto cedeu no dia 15 de novembro na marginal Pinheiros, na zona oeste de SP

Viaduto cedeu no dia 15 de novembro na marginal Pinheiros, na zona oeste de SP

MISTER SHADOW/ASI/ESTADÃO CONTEÚDO

Planilhas que compõem a minuta da licitação para a contratação da vistoria detalhada de 33 viadutos, já considerados com problemas na capital e obtidas com exclusividade pelo R7, mostram que a Prefeitura de São Paulo prevê gastar, em média, R$ 300 mil por vistoria.

Leia mais: PM orienta motoristas em vias perto de viaduto que cedeu

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, afirmou nesta segunda-feira (26), que a realização dos laudos que avaliam a condição da estrutura de 185 pontes e viadutos da cidade de São Paulo, está estimada em cerca de R$ 60 milhões aos cofres públicos.

Leia mais: Parte do viaduto do Jaguaré cede e fecha marginal Pinheiros

Nas vistorias especiais, além de uma análise visual do viaduto, também são colhidas amostras e feitos testes químicos e físicos para avaliar as condições do concreto, do aço e de outras partes que compõe a estrutura.

Planilha mostra estimativa para vistoria da Ponte do Limão, na zona norte de SP

Planilha mostra estimativa para vistoria da Ponte do Limão, na zona norte de SP

Reprodução

A vistoria na ponte do Limão, por exemplo, que apresentou uma fissura no asfalto na semana passada e que já era apontado pela prefeitura como um viaduto que necessita de obras, a prefeitura espera gastar cerca de R$355 mil.

No valor está previsto a mão de obra, que deve incluir um engenheiro com entre 5 e 10 anos de experiência, estruturas para ter acesso ao viaduto, sinalização para controle do trânsito e ensaios físico-químicos para analisar as estruturas do viaduto.

O prefeito afirmou ainda que o governo do Estado ofereceu ajuda e que, assim que for definido o tamanho dos danos e qual as obras de engenharia necessárias para recuperar eventuais estruturas com problemas, a prefeitura entrará em contato com o Palácio dos Bandeirantes e com o governo federal.

Ainda segundo Bruno Covas, o macaqueamento do viaduto do Jaguaré, que cedeu no último dia 15, na marginal Pinheiros, zona oeste de São Paulo, começará ainda essa semana.

Vistorias especiais

O prefeito Bruno Covas decidiu seguir recomendações feitas pela Secretaria Municipal de Obras para que novas inspeções feitas em pontes e viadutos seja de "vistorias especiais".

Em um ofício obtido pelo R7, o chefe de gabinete da Secretaria de Obras alerta que "as inspeções visuais elaboradas não são suficientes isoladamente para definição de prioridades [para reformas de pontes e viadutos]".

O texto enviado ressalta ainda que viadutos que já necessitaram de obras emergenciais por apresentarem problemas emergenciais, como uma ponte no Rio Tamanduateí e até o viaduto que cedeu na marginal Pinheiros, não teve os problemas identificados nas "vistorias visuais".

O ofício diz ainda que a prefeitura não possui vistorias especiais de viadutos e pontes da cidade que permitam priorizar obras e intervenções nas que eventualmente estão em estado mais crítico e que a última grande vistoria visual foi feita em 2012.

* Estagiária do R7, sob supervisão de Ingrid Alfaya