São Paulo Suspeito de matar investigador se entrega à polícia em São Bernardo

Suspeito de matar investigador se entrega à polícia em São Bernardo

Acusado de disparar contra Jorge Queiroz, de 58 anos, disse à polícia que estava escondido em área de mata. Ele foi levado à delegacia da zona leste

  • São Paulo | Marcos Rosendo, da Agência Record, com informações da Record TV

Jorge Queirós, investigador assassinado na Vila Carrão, em São Paulo

Jorge Queirós, investigador assassinado na Vila Carrão, em São Paulo

Reprodução/Record TV

O homem acusado de matar um investigador de polícia na Vila Carrão, no domingo (25), se entregou na quinta (29) na delegacia de São Bernardo do Campo, na Região Metropolitana de São Paulo. A Polícia Civil procura o terceiro homem que teria participado da ação. 

Segundo a polícia, ele teria assumido o crime e disse que estar escondido em uma área de mata desde o último domingo. O homem vai cumprir prisão temporária de 30 dias, que pode ser renovada.

Segundo o delegado que investiga o caso, ele afirmou em depoimento que o objetivo era roubar o carro importado de Queiroz. O policial estava armado, mas não teria conseguido se defender a tempo. Antes mesmo de pegar a arma, o investigador levou um tiro no peito e morreu no hospital.

Na quarta-feira (28) outro homem foi preso: o motorista do carro que ajudou na fuga dos atiradores. Ele foi encontrado, em Santos, no litoral sul de São Paulo.

O caso

O policial civil, investigador Jorge Queiroz, de 58 anos, morreu após ser baleado na noite do domingo (25), na rua Xiririca, na Vila Carrão, em um cruzamento com a avenida Guilherme Giorgi, na Vila Carrão, zona leste de São Paulo, por volta das 18h16, durante uma tentativa de assalto. Desde a segunda-feira (26), a polícia faz diligências para localizar o suspeito de ter atirado.

Leia mais: Veículo utilizado por suspeitos de balear e matar policial é encontrado

Uma equipe da PM foi acionada para atender uma ocorrência de disparo de arma de fogo. No local, os policiais encontraram o policial caído na porta de um restaurante. Ele foi socorrido ao Hospital Tatuapé, mas não resistiu.

O dono do restaurante afirmou que o policial foi abordado por dois homens na saída do estabelecimento. Segundo ele, o agente teria entrado em luta corporal com um dos suspeitos, que disparou.

A dupla fugiu. A arma do policial foi apreendida, assim como sua carteira com documentos e uma quantia em dinheiro. Foi solicitada perícia para o local dos fatos. O caso foi registrado como roubo pelo 31º DP (Vila Carrão), que apura os fatos.

O 31º Distrito Policial, da Vila Carrão, informou que as equipes realizaram diligências em diversos pontos de São Paulo para localizar o suspeito de atirar no investigador Jorge Queiroz.

Últimas