Brasília Após audiência de custódia no Rio, Roberto Jefferson seguirá preso

Após audiência de custódia no Rio, Roberto Jefferson seguirá preso

Segundo o advogado do PTB, o juiz que conduziu a oitiva ressaltou que a revogação da prisão compete ao ministro Moraes, do STF

  • Brasília | Do R7, em Brasília

Roberto Jefferson, ex-deputado que atirou contra agentes da PF, no interior do Rio de Janeiro

Roberto Jefferson, ex-deputado que atirou contra agentes da PF, no interior do Rio de Janeiro

Lorena - Notícias

A prisão do ex-deputado federal Roberto Jefferson foi mantida após a audiência de custódia realizada no Rio de Janeiro nesta segunda-feira (24). A informação foi confirmada ao R7 pelo advogado do PTB Luiz Gustavo. O ex-parlamentar está preso no presídio de Benfica, na zona norte da capital fluminense.

De acordo com o advogado, o juiz que conduziu a audiência, Airton Vieira, auxiliar do gabinete do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), ressaltou que a revogação da prisão compete ao magistrado, que expediu a ordem de prisão contra o ex-parlamentar no último sábado (22).

Roberto Jefferson foi preso após atirar contra agentes da Polícia Federal que foram até a sua residência, no município de Comendador Levy Gasparian, no interior do Rio de Janeiro, para cumprir a decisão judicial, no domingo (23).

Ele foi indiciado pela Polícia Federal por quatro tentativas de homicídio contra integrantes da corporação. Na audiência de custódia, Jefferson, que é presidente de honra do PTB, confessou ter lançado três granadas e disparado 50 tiros de fuzil contra uma viatura da corporação. O ex-deputado federal já estava em prisão domiciliar por ameaças e ataques, pelas redes sociais, contra o STF e seus ministros.

Últimas