Brasília Governo do Distrito Federal vai pedir ajuda do Ministério da Defesa para o combate à dengue

Governo do Distrito Federal vai pedir ajuda do Ministério da Defesa para o combate à dengue

Secretária de Saúde, Lucilene Florêncio, disse que vacina é um 'alívio', mas falta doses e a população precisa fazer a parte dela

  • Brasília | Edis Henrique Peres, do R7, em Brasília

Lucilene pediu ajuda dos moradores na prevenção

Lucilene pediu ajuda dos moradores na prevenção

Renato Alves/Agência Brasília

A secretária de Saúde do Distrito Federal, Lucilene Florêncio, anunciou nesta quinta-feira (25) que vai pedir ajuda ao Ministério da Defesa para combater a dengue. A informação foi dada durante coletiva do Ministério da Saúde que definiu os 521 municípios que vão receber as doses do imunizante contra a doença a partir de fevereiro.

“Vamos conversar com o Ministério da Defesa, pedindo apoio para o Exército, para que a gente possa estar ampliando o cuidado, principalmente porque as equipes [de saúde] estão cansadas. Ainda não deu tempo nem da recuperação [do combate a] Covid-19, e estamos nos deparando com essa nova situação”, disse Lucilene.

O Distrito Federal registrou 16,6 mil casos da doença nos primeiros dias do ano, uma média de 34 casos por hora. A titular da pasta disse que a vacina vem ajudar, “nos dá um alívio e um alento, porém não temos uma quantidade suficiente. Precisamos fazer nosso dever de casa, nossa parte”.

Lucilene aproveitou para pedir ajuda à população no combate aos focos do Aedes aegypti. “O cuidado e enfrentamento das arboviroses não se trata de um medicamento, de uma terapia, é um processo de mudança de comportamento. É o descarte do pneu, a plantinha ou outra coisa inocente dentro da residência que se torna um criadouro do mosquito”, disse.

Atendimento

Até o momento, o DF recebeu do Ministério da Saúde R$ 1,7 milhão para as ações de combate à dengue. Há nove tendas nas regiões com maior número de casos, ao lado das administrações regionais - Ceilândia, Samambaia, Sol Nascente, Brazlândia, Taguatinga, Santa Maria, Recanto das Emas, São Sebastião, Estrutural e Sobradinho.

Também nesta quinta, a Secretaria de Proteção da Ordem Urbanística do Distrito Federal (DF Legal) criou uma força-tarefa para ajudar na prevenção e combate à dengue. A medida prevê o monitoramento com imagens de satélite de pontos de descarte irregular de lixo e o aumento das fiscalizações da pasta em toda a capital, com multas que podem chegar até R$ 27,7 mil. A ação ocorre até junho, sendo que as denúncias e reclamações referentes a focos do Aedes aegypti serão atendidas com prioridade.

Últimas