Brasília Leite acusa Doria de compra de votos nas prévias do PSDB

Leite acusa Doria de compra de votos nas prévias do PSDB

Aplicativo para votar nas prévias tucanas apresentou problemas e eleição interna foi suspensa no domingo (21)

  • Brasília | Isabella Macedo, do R7, em Brasília

Eduardo Leite, governador do RS e pré-candidato à Presidência da República

Eduardo Leite, governador do RS e pré-candidato à Presidência da República

Isabella Macedo/R7

Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul e concorrente nas prévias do PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) para a escolha do candidato do partido à Presidência da República, acusou na tarde desta segunda-feira (22) o rival nas prévias tucanas, o governador de São Paulo, João Doria, de compra de votos.

"Do outro lado nós vemos isso. Nós vemos, sim, compra de votos, estamos vendo denúncias de pressões indevidas, suspensão de filiações, demissão de pessoas que não apoiam”, afirmou Leite ao chegar à Comissão Executiva Nacional em Brasília nesta segunda. O governador gaúcho disse ainda que está confiante em que será escolhido candidato do PSDB nas eleições presidenciais do ano que vem.

Leite também disse que espera a retomada da votação do processo partidário o mais rápido possível.

O presidente do PSDB, Bruno Araújo, se reuniu com representantes dos desenvolvedores do aplicativo usado para a votação e com representantes da campanha de Leite, Doria e do ex-prefeito de Manaus (AM) Arthur Virgílio.

Leite foi acompanhado do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) na chegada à reunião do partido. Ambos defenderam o uso do aplicativo, afirmando que as prévias seriam inviáveis e haveria mais denúncias de fraudes de outra forma.

“Gostaria de esclarecer uma coisa e dar uma palavra de elogio ao trabalho, ao esforço do Bruno Araújo pra se chegar a esse dia. Não era viável [votação em] papel, não era viável colocar urnas eletrônicas pelo Brasil inteiro. Tinha que ser via aplicativo. Não era viável trazer todo mundo — os filiados — pra cá e essa foi a solução encontrada. E como tudo que é novo e é feito pela primeira vez, corre riscos como esse”, pontuou o senador.

A assessoria do governador Joao Doria disse que ainda não vai se pronunciar sobre o assunto.

Últimas