Brasília Podemos decide lançar apenas candidatos sem mandato à CLDF

Podemos decide lançar apenas candidatos sem mandato à CLDF

Negociações avançam com nomes que já participaram do pleito em 2018. Com a orientação, distrital Jorge Vianna deva deixar a sigla

  • Brasília | Jéssica Moura, do R7, em Brasília

Deputado Jorge Vianna discursa sem máscara durante sessão na CLDF

Deputado Jorge Vianna discursa sem máscara durante sessão na CLDF

TVCLDF/Reprodução

Em meio ao avanço das negociações para filiação de candidatos para as eleições deste ano, o Podemos, partido do pré-candidato à presidência da República Sergio Moro, definiu como estratégia não vai lançar candidatos à Câmara Legislativa do Distrito Federal que já exerçam algum mandato. 

Com a medida, o deputado distrital Jorge Vianna deve aproveitar o período da janela partidária para procurar outra legenda a fim de concorrer à reeleição. O prazo para a mudança termina em 1º de abril. Desde o início do período, neste mês, quatro parlamentares já trocaram de agremiação.

"Já comecei a conversar com outros partidos, mas não vou para partidos radicais, nem de direita nem esquerda. Sempre fui muito ponderado no que defendi, que são os trabalhadores da saúde, em geral, e a saúde do DF", afirmou. 

Enfermeiro, ele foi eleito em 2018 com 13.070 votos, pelo Podemos. O presidente do diretório do partido no DF, Cristian Viana, diz que o distrital se manteve distante das orientações da legenda ao longo da legislatura.

"O mandato dele foi praticamente independente da direção partidária, que ficou alijada do mandato dele. Não tem razão para gastarmos tempo, dinheiro e esforço para renovar o mandato dele. O partido não tem obrigação de dar legenda", disse Cristian Viana.

Sergio Moro, durante ato de filiação ao Podemos

Sergio Moro, durante ato de filiação ao Podemos

Evaristo Sá/AFP - 10.11.2021

Sobre a estratégia de focar em candidatos sem mandato, ele declara que é para dar mais equidade na disputa entre os postulantes. "Disputar com alguém que está colocado na cadeira de parlamentar, essa pessoa tem maior visibilidade, verbas, tem estrutura", ponderou.

A intenção é lançar candidaturas de nomes que já foram testados nas urnas em 2018. O acerto já está mais avançado com quadros como Daniel Radar, Pastor Ozéias, Pedro Ivo e professor Francelino, por exemplo. O objetivo é que o grupo esteja alinhado com o programa do partido. A lista com os pré-candidatos do Podemos deve ser divulgada até o fim da próxima semana.

Governo

Em relação à disputa ao governo do DF, a prioridade do Podemos é apoiar a candidatura do senador Antônio Reguffe, que também tem a simpatia do PDT. Ele ainda não definiu para qual cargo vai se lançar. Isso porque outros dois senadores, Izalci Lucas (PSDB) e Leila Barros (sem partido), também pretendem disputar o cargo.

Ao lado de outras legendas como Cidadania e Solidariedade, Reguffe avalia compor uma aliança com esses parlamentares para uma possível candidatura de centro, que fizesse oposição a Ibaneis Rocha, mas sem se aliar a partidos de esquerda. Nesta semana, o MDB de Ibaneis selou a aliança com o PL, de Jair Bolsonaro. Na ocasião, a secretária Marcela Passamani ingressou na sigla do presidente.

Últimas