Brasília Suspeito diz que queria "finalizar" Gabriel Luiz durante o assalto

Suspeito diz que queria "finalizar" Gabriel Luiz durante o assalto

Segundo os delegados responsáveis pelo caso, o jornalista teria reagido durante as facadas; o crime aconteceu no dia 14 de abril 

  • Brasília | Luiz Calcagno, do R7, em Brasília

Gabriel Luiz

Gabriel Luiz

Redes sociais/Reprodução

O suspeito, de 19 anos, de tentar matar o jornalista Gabriel Luiz disse que a vítima reagiu ao assalto durante as facadas, segundo os delegados resposáveis pelo caso, Petter Ranquetat e Douglas Fernandes. Nesse momento, ele afirmou que queria "finalizar" o profissional, de acordo a polícia.  O inquérito foi encaminhado ao MPDFT (Ministério Público do DF e Territórios).

O jovem teria feito a confissão no dia seguinte ao crime, poucas horas antes de ser preso. Ao todo, a Polícia Civil ouviu 16 pessoas. Incluindo Gabriel Luiz, que prestou depoimento do hospital e reforçou a tese dos investigadores de tentativa de latrocínio, roubo seguido de morte. 

Gabriel relatou que gritou para que parassem e que devido à quantidade de facadas, imaginou que o intuito dos criminosos era de matá-lo. Ele admitiu que reagiu depois das primeiras facadas, para sair de onde estava, e se recorda de alguém do prédio ao lado ter visto e gritado que estava filmando.

Ainda segundo Gabriel, na abordagem, a dupla teria gritado "acabou", ou "pedeu". Apesar de o inquérito estar fechado, a polícia ainda aguarda a perícia no celular do acusado, que tem mais de 18 anos. Além disso, o MPDFT também pode pedir novas diligências, se considerar necessário.

Outro ponto da investigação que ficou esclarecido, de acordo com os delegados, é o dos € 250 apreendidos com o suspeito adulto, no momento da prisão. A mãe do acusado apresentou um comprovante de uma viagem que ela faria para Portugal, o que convenceu os investigadores que ela era a proprietária da quantia roubada pelo filho.

Tentativa de latrocínio

A tentativa de latrocínio aconteceu na noite de quinta-feira (14),  véspera de feriado. O jornalista levou cerca de 10 facadas no pescoço, no tórax e na perna, e ficou em estado grave. Militares do Corpo de Bombeiros socorreram Gabriel e o levaram para o Hospital de Base do Distrito Federal, onde ele passou por uma série de cirurgias.

No sábado (16), o profissional foi transferido para o Hospital Brasília, no Lago Sul. Na terça-feira (19), ele deixou a UTI. A Polícia Civil pretendia ouvi-lo ainda na sexta-feira (22). Mas, de acordo com parentes do jornalista, o depoimento teve de ser adiado pois os médicos trocaram os antibióticos do paciente por outros mais fortes.

Apesar da troca de medicamentos, as informações repassadas por familiares indicam que o jornalista tem tido uma boa recuperação. A Record TV teve acesso a uma série de vídeos que mostram o trajeto do jornalista Gabriel Luiz e da dupla que o esfaqueou no último dia 14.

São imagens de câmeras de segurança de estabelecimentos comerciais e de prédios do Sudoeste, que mostram a vítima deixando um bar com amigos e os suspeitos perseguindo Gabriel e fugindo após o crime.

As primeiras imagens mostram que ele estava com dois amigos no bar Potiguar Caldos, na Quadra 504, Bloco B, do Sudoeste, por volta de 22h46. A vítima estava vestido com uma blusa verde e bermuda rosa. Pouco depois, os três deixam o estabelecimento em direção ao Bloco A. Em outro vídeo, eles aparecem distraídos e conversando em frente a uma barbearia.

Já no Bloco A, Gabriel deixa os amigos em um Uber. Essa parte não aparece nas filmagens. Nesse momento, de acordo com as investigações, os dois suspeitos, um de 19 anos e um de 17, estavam em uma área atrás do bar, e decidem fazer o assalto, embora ainda não tivessem uma vítima.

O momento do assalto

Os suspeitos seguem, primeiro, em direção ao “Sudoeste Econômico”, e vão à casa de um amigo na Quadra 3, para pedir uma faca. Depois, descem por uma via lateral ao lado do supermercado Pão de Açúcar e, ao atravessarem a rua, avistam a vítima. Nesse ponto, a câmera de um prédio flagra os agressores caminhando calmamente.

Pouco depois, Gabriel percebe que está sendo seguido e tenta fugir, mas não há mais tempo. Na abordagem ao jornalista, o adolescente aplicou na vítima um golpe de sufocamento conhecido como mata-leão, enquanto o adulto desferiu as facadas no profissional. Eles fugiram e a vítima pediu socorro no prédio onde mora.

Outra filmagem, no mesmo trajeto, mostra a dupla correndo. O adolescente, que acidentalmente foi atingido por uma das facadas, manca enquanto segue logo atrás do adulto. Imagens de câmera de segurança mostram a dupla correndo em frente ao supermercado e, depois, em frente a um bloco do "Sudoeste Econômico", quando o adolescente descarta o celular de Gabriel.

Últimas