Eleições 2022 Fachin diz que TSE será firme contra acusações de fraude nas eleições

Fachin diz que TSE será firme contra acusações de fraude nas eleições

Ministro afirmou que integridade das eleições está assegurada por processos de auditoria

  • Eleições 2022 | Renato Souza, do R7, em Brasília

O presidente do TSE, ministro Edson Fachin, durante uma das sessões da corte

O presidente do TSE, ministro Edson Fachin, durante uma das sessões da corte

Antonio Augusto/Secom/TSE - 01.07.2022

O ministro Edson Fachin, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), afirmou, nesta segunda-feira (8), que a Justiça Eleitoral "atuará de modo firme, a evitar que as pseudoafirmações de fraude comprometam a paz e a segurança" dos eleitores e do pleito deste ano. As declarações foram feitas na sede da corte, em Brasília.

Fachin recebeu um grupo de 11 advogados, que disseram ter ido ao tribunal para sugerir esforços para "aprimoramento do processo eleitoral". Ele destacou, no encontro, que a Justiça Eleitoral vai atuar para impedir que acusações de fraude comprometam a paz e a segurança no pleito. Os juristas foram representados por Géssica Roberta de Almeida Araújo.

De acordo com o TSE, ela destacou que o grupo é favorável ao voto por meio das urnas eletrônicas e "à pacificação das discussões políticas".

Fachin declarou que todos devem respeitar as regras eleitorais. "Em primeiro lugar, o respeito às regras do jogo e a aceitação do julgamento popular, fielmente espelhado pelas urnas eletrônicas. Em segundo lugar, a manutenção incondicionada de sua natureza pacífica, que por sua vez impõe, sem mais, o exercício indiscriminado da tolerância", disse.  

De acordo com o TSE, o magistrado "lembrou que 11 resoluções relacionadas às eleições foram aprovadas pela corte eleitoral após audiências públicas e o recebimento de sugestões de vários setores da sociedade". Fachin afirmou ainda que, "em outubro, a integridade do pleito eleitoral e do sistema eletrônico de votação estará assegurada pelos mecanismos já existentes de auditoria".

Últimas